Como o executivo pode carregar peso sem afetar a coluna?

O ideal para quem carrega objetos pesados é distribuir essa carga de maneira equilibrada pelo corpo, explica ortopedista

SÃO PAULO – Dados da Escola Nacional de Saúde Pública, instituição ligada à Fiocruz, apontam que 36% dos brasileiros são afetados por dores nas costas.

A OMS (Organização Mundial da Saúde), por sua vez, estima que 80% da população mundial sofrerá com problemas lombares em algum momento da vida.

Entre os executivos, esse risco pode ser ainda maior, pelo fato dessas pessoas carregarem pesos, como notebooks. Observar profissionais de diversas áreas circulando com mala ou bolsa tornou-se mais do que comum atualmente.

PUBLICIDADE

Medidas
Na avaliação do ortopedista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Agnaldo de Oliveira Júnior, o ideal para quem carrega objetos pesados é distribuir essa carga de maneira equilibrada pelo corpo.

“Quando carregamos algum tipo de peso, o ideal é que ele varie entre 8% e 10% do nosso peso corporal”, afirma o médico.

Segundo ele, as mochilas, se bem colocadas, são mais eficazes do que as bolsas, frequentemente utilizadas no ombro e que devem ser colocadas nas mãos. 

“Se você possui duas maletas, por exemplo, o correto é levá-las em cada mão, de modo que o peso fique equilibrado”, adverte o ortopedista.

Pesos
Em certas situações, no entanto, não será possível colocar “apenas” 10% do peso corporal na carga alocada na bolsa. Nesses casos, afirma Oliveira Júnior, o ideal será transportar o conteúdo em uma mala com rodinha, usualmente utilizada em aeroportos.

“De qualquer forma, essa pessoa deverá usar a alça da mala de maneira correta, pois não adianta ficar inclinado para empurrar a bolsa”, diz o especialista.

Carregar peso indevidamente pode acarretar em sérios problemas de coluna, como um desvio ou até uma contratura. “É como um carro, você não pode forçar somente os amortecedores de um lado do veículo”, explica.

Precauções
Segundo o ortopedista, para evitar problemas nas costas, o correto é se alongar antes de ir para o trabalho ou depois do expediente, quando o profissional estiver em casa.