Como fazer da Páscoa o início do sucesso para a carreira no comércio de chocolates?

Para especialista, empreendedores devem entender que a data trata-se de um episódio sazonal, o que não implica em sucesso no futuro

SÃO PAULO – A poucos meses da Páscoa, quem pretende ganhar algum dinheiro ou fazer carreira com o setor de chocolates terá de se sobressair frente aos demais concorrentes no negócio.

A avaliação é do consultor de Marketing do Sebrae-SP, Wlamir Bello. Para o especialista, os empreendedores devem entender que a data trata-se de um episódio sazonal, o que não implica em sucesso garantido para o pós-Páscoa.

“Ele [profissional] deve tentar criar diferenciais, seja no comportamento, na forma de atendimento ou nos preços. Ou seja, é necessário ter algo que a concorrência não tenha”, explica Bello.

PUBLICIDADE

O especialista sustenta que vender, atualmente, equivale a muito mais do que transformar o produto em dinheiro, mas sim atender a demanda do consumidor.

Comportamento
É fundamental para esse profissional não depender exclusivamente de um período de alta, mas sim de comercializações que reforçem o caixa ao longo do ano.

“Antes da Páscoa, o profissional precisa fazer uma pesquisa para ouvir os anseios do cliente e, por exemplo, perceber o que move sua necessidade”, descreve Bello.

A partir dessa premissa, o empreendedor já pode articular uma linha de raciocínio para registrar bons resultados ao longo do ano. “Com essas informações, o comerciante terá estratégia de compras futuras”.

Entender o comportamento do cliente, observa Bello, pode render ao profissional do chocolate uma espécie de fidelização por parte do consumidor, conceito de valor para quem trabalha neste segmento.

“Se eu criar um problema para o cliente e resolvê-lo rapidamente, o grau de satisfação dele chegará a 100%. O bom atendimento certamente irá refletir no futuro”, aponta o consultor do Sebrae-SP.

Estratégia
Durante o processo de produção dos chocolates, o profissional deve determinar vários pontos de contato com o mercado – terá um ponto fixo de vendas ou irá visitar os clientes no trabalho ou em casa? 

“Independentemente do que ele [profissional] optar, é indicado não depender somente do ponto fixo ou das visitas, mas criar perfis nas redes sociais, disparar e-mails e se apresentar ao público”, explica Bello.