Como escolher um mentor para a sua carreira?

Ele auxilia no planejamento da carreira e aconselha na tomada de decisões, explica líder da Hays Procurement e Hays Logistics

SÃO PAULO – Para conquistar uma carreira de sucesso e ser competitivo no mercado de trabalho, é necessário ter certeza sobre sua vocação, ter sólida formação acadêmica, estar sempre atualizado e ter experiência em diferentes áreas e empresas. Mas, além de todos estes fatores, será que existe outro diferencial que ajuda no desenvolvimento profissional?

Ter a ajuda de um mentor é importante na carreira e poucas pessoas contam com esse apoio. A função do mentor é auxiliar o profissional a desenvolver um estilo de trabalho com marca própria e construir alianças sólidas e verdadeiras de longo prazo.

Faz parte deste apoio o planejamento de carreira, orientações gerais, como políticas internas e networking (rede de contatos), e aconselhamento para facilitar a tomada de decisões ou a solução de problemas.

PUBLICIDADE

“Por seu exemplo, passado profissional, disponibilidade e credibilidade no mercado, o mentor ajuda o indivíduo nas decisões sobre sua carreira”, explica o líder das divisões de negócios Hays Procurement e Hays Logistics, Rodrigo Soares.

Como encontrar um mentor?
O mentor não precisa atuar necessariamente no mesmo setor do profissional nem precisa ter experiência no mesmo mercado de trabalho. O mentor é uma referência no seu setor de atuação devido a realizações quantitativas e qualitativas de sua trajetória profissional.

O mentor pode ser um ex-colega de trabalho, um líder de outra área da empresa ou até mesmo um amigo. Mas, além da comprovada experiência, ele deve ter algumas características para poder auxiliar uma pessoa em sua carreira, como não ser rígido ao dizer o que é certo e o que é errado e apresentar soluções para encontrar a melhor alternativa.

É importante também enxergar questões de maneira mais ampla e abrangente e estar disposto a ouvir e ajudar o profissional.

Diferença entre mentor e coaching
De acordo com Soares, há diferenças fundamentais entre as funções e contribuições de um mentor e as de um profissional de coaching.

A identificação e a escolha de um mentor partem da maneira proativa do profissional, que decide quando e com quem manter essa relação. Já no caso do coaching, a relação é mais distante, uma vez que em alguns casos ele é indicado pela empresa. 

“Outro aspecto importante que diferencia um e outro é o tempo de duração e o tipo de vínculo que se forma em cada um dos casos. Em coaching, o relacionamento é mais curto, e até por isso o vínculo é superficial. Já no caso do mentor, por ser algo perene, criam-se relacionamentos mais duradouros”, afirma Soares.