Fecomercio-SP

Comércio varejista abriu mais de 6 mil vagas em agosto

Ao comparar o estoque finl de agosto com julho, houve expansão de 0,7%. Frente a agosto de 2011, a alta foi de 2,9%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em agosto, o saldo de empregados com carteira assinada no comércio varejista da RMSP (Região Metropolitana de São Paulo) ficou em 6.615 novos postos de trabalho. Com isso, o estoque final foi 993.464 empregados.

Ao analisar o estoque final de agosto, com julho, houve crescimento de 0,7%. Frente a agosto de 2011, a expansão foi de 2,9%.

Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) baseada nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego.

PUBLICIDADE

Admitidos e demitidos
Os dados apontaram ainda o número de profissionais admitidos e demitidos. Em agosto, foram criadas 2.764 vagas, acréscimo de aproximadamente 6% em relação ao mês anterior (julho 2012), sendo 49.254 admitidos em agosto frente aos 46.490 em julho de 2012.

Por outro lado, 42.639 funcionários foram demitidos do comércio varejista, contra os 42.234 desligados em julho.

Para a Assessoria Técnica da entidade, embora o desempenho percebido na contratação formal seja de arrefecimento nas taxas de crescimento desde meados do ano passado, é importante ressaltar que há uma nítida recuperação do nível de emprego nestes primeiros dois meses do segundo semestre, demonstrando que os empresários do comércio estão apostando na retomada dos seus negócios para o segundo semestre deste ano.

“A evolução tem tudo para ser interpretada como uma tendência, visto que há uma série de estímulos que pretendem manter o nível de atividade econômica aquecida e, consequentemente, o consumo interno. Estes estímulos vão desde a expansão do crédito e da renda, a queda nas taxas de juros, o alongamento dos prazos de financiamento, a manutenção dos incentivos fiscais (redução do IPI), entre outros”.

Rotatividade
Por fim, a pesquisa indicou que no oitavo mês do ano, a taxa de admitidos e demitidos ficou em 5,0% e 4,3%, respectivamente.

Os setores que mais contrataram continuam sendo os de vestuário, tecidos e calçados e supermercados (alimentos e bebidas), com taxas de 6,3% e 5,4%, respectivamente. Os demais setores avaliados pela pesquisa também apresentaram evolução.

PUBLICIDADE

A rotatividade no comércio geral ficou em 4,6% em agosto. Sendo os segmentos de vestuário, tecidos e calçados (5,9%) e supermercados – alimentos e bebidas (5%) também responsáveis pela maior taxa de rotatividade de agosto.