Com que roupa eu vou? Boa aparência é fundamental em entrevista de emprego

Vestir-se formalmente, sabendo dosar conforto e elegância, será importante para se destacar nos concorridos processos de seleção

SÃO PAULO – Procurando emprego há algum tempo, enfim você recebeu a notícia de que foi selecionado para uma entrevista. Não há dúvidas de que um certo nervosismo lhe toma conta e, além de sua postura durante a conversa com o profissional que irá entrevistá-lo, outro ponto importante que começa a causar a preocupação é: como devo me vestir?

É muito comum ouvirmos colegas de trabalho comentarem que, pelo “poder” dos donos de suas empresas, a maneira como se vestem é bastante simples.

Para muitos, o ato é visto como de humildade, para outros, trata-se de deselegância. Mas, vamos levar em conta que estamos tratando do dono da empresa que, a esta altura do campeonato, após ter chegado onde chegou, pode se permitir tais regalias.

O conjunto da obra

PUBLICIDADE

Agora, em se tratando do quadro de funcionários, existe um consenso entre a grande maioria das empresas: vestir-se formalmente nunca está errado!

A aparência durante uma entrevista é de extrema importância para que tudo saia como você espera. E a roupa está incluída neste conjunto de atributos que levarão o entrevistador a forma uma opinião sobre o seu perfil.

Com exceção de profissões que permitem, digamos, uma ousadia maior, como é o caso dos publicitários ou profissionais de informática, o mercado tende a aprovar sempre o estilo tradicional, mais conservador e que, ao mesmo tempo, garanta conforto.

A roupa, em um processo de seleção, é parte de um todo. É preciso parecer bem, ou seja, apresentar um andar correto, a voz pausada e agradável, ombros alinhados, costas eretas, postura firme, mas sem demonstrar arrogância.

Pode-se dizer que tudo começa pela roupa, porém a harmonia do conjunto é que deverá causar a boa impressão na entrevista.

O que pensam as empresas

De acordo com uma pesquisa conduzida pelo Grupo Catho junto a 1.356 executivos de diversos ramos em várias regiões do País no ano passado, ao entrevistar candidatos para cargos de confiança, homens vestidos de terno azul-marinho (67%), sem barba ou bigode (90%) e com cabelos curtos (99%) são sempre os mais escolhidos.

O mesmo conservadorismo é exigido entre as mulheres entrevistadas. As profissionais com maiores chances são aquelas que vestem tailleur (62% das respostas masculinas e 66% das respostas femininas), usam maquiagem leve (88% e 94% das respostas, respectivamente) e tenham cabelos curtos (90% e 87% das respostas).