Coach revela o que profissional brasileiro tem a aprender com chineses

"Aliar conhecimentos técnicos e comportamentais pode ser a sutil diferença entre o sucesso e o fracasso", diz Ricardo Melo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O que os profissionais brasileiros têm a aprender com os executivos que trabalham na economia que mais expande no mundo, a China? A resposta é fácil para o coach Ricardo Melo. “Vivemos em um mundo em que aliar conhecimentos técnicos e comportamentais pode ser a sutil diferença entre o sucesso e o fracasso”.

Nem sempre damos a mesma atenção às questões comportamentais e às técnicas. De acordo com ele, os chineses fazem isso e levam a disciplina, lealdade, respeito à hierarquia e a obediência à mesa de negócios. Isso desequilibra o receptor.

Além disso, abusam da arte de desequilibrar o negociante que está do outro lado. “O cansaço e as duras pressões psicológicas podem deixar o negociante inexperiente fragilizado”.

Questões práticas

Aprenda a investir na bolsa

O coach conta que já viu um cliente perder um negócio por questões de relacionamentos pessoais. “Lembro de um cliente meu que foi negociar um grande volume de exportações na área de autopeças e que foi surpreendido por uma série de perguntas pessoais.

Algo comum na cultura chinesa, essa atitude soaria inconveniente e invasiva no Brasil. Para os chineses, no entanto, não é. “Os mínimos detalhes são observados e discutidos”.

Outro ensinamento vem do poder de lidar com as adversidades. “Conheço casos de executivos que foram até a China para fechar acordos e ficaram no limite da exaustão, sentindo-se perdidos em uma cultura completamente diferente”. Por isso, a dica do coach para ter bons resultados é se posicionar com maestria diante das adversidades.

Conclusão

Melo conclui dizendo que mais do que nunca é necessário ter uma leitura comportamental. “Saber entender as práticas e costumes dos outros povos, já que o mundo cada vez mais possui barreiras culturais. Para um executivo, é imprescindível ter equilíbrio emocional e saber trabalhar bem a sua imagem”.