CNPq informa a universidades sobre número de bolsas no exterior a que terão direito

Bolsas oferecidas terão valor de US$ 870, com duração de um ano e com previsão para começar a serem pagas a partir de 2012

SÃO PAULO – Universidades e Institutos Federais de Educação Tecnológica de todo o País serão comunicados a partir desta quarta-feira (17) sobre o número de bolsas de ensino no exterior a que terão direito, dentro do programa CsF (Ciências sem Fronteiras).

De acordo com a Agência Brasil, as bolsas oferecidas terão valor de US$ 870, com duração de um ano e com previsão para começar a serem pagas a partir de 2012, após processo de seleção pública no centro de pesquisa. O contato com as universidades e institutos será feito pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Número de bolsas
Cada instituição receberá um número de bolsas específico, que será determinado de acordo com o desempenho que obteve no Pibic (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) e no Pibiti (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação).

PUBLICIDADE

Na primeira etapa do programa Ciência sem Fronteiras, serão oferecidas 2 mil bolsas nos cursos de ciências da saúde (como Medicina, Enfermagem, Farmácia, Odontologia, Nutrição), ciências da vida (Biologia, Genética, Bioquímica, Farmacologia) e engenharias e tecnologias (Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica – Eletrotécnica).

Inovação tecnológica
Para o governo, as áreas escolhidas são consideradas estratégicas na chamada “economia do conhecimento”. Sua intenção é que os estudantes contemplados com as bolsas ajudem o País a prosperar em termos de inovação tecnológica e também consigam fazer com que o mercado nacional desenvolva produtos de maior valor agregado.

Para que isso se torne realidade, o programa da bolsa prevê que os alunos estudem, pesquisem e também realizem estágio em laboratórios de tecnologia ou centros de pesquisa de empresas no exterior.

De acordo com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, a exigência do estágio internacional tem como objetivo aprimorar o currículo do estudante e fazer com que as empresas no Brasil se interessem pela sua contratação.

Universidades de destino
No total, 250 instituições de ensino serão contempladas com as bolsas. O programa ainda selecionou 238 universidades estrangeiras para onde serão enviados os estudantes, tendo como base, para esta seleção, a lista de instituições da Times Higher Education e QS World University Rankings.

Conforme as normas do programa, as instituições que os estudantes a estão ligados serão responsáveis pela escolha da universidade de destino, já os estágios deverão ser providenciados pelos próprios alunos.

PUBLICIDADE

Têm preferência para participar do CsF os melhores alunos de iniciação científica e tecnológica, que tenham mais de 600 pontos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e sejam premiados em olimpíadas científicas (como Matemática e Ciências). As bolsas serão concedidas a estudantes que tenham cumprido de 40% a 80% dos créditos do curso. Os créditos feitos no exterior deverão ser reconhecidos.