CNI: indicadores industriais mostram desaceleração no segundo trimestre

Horas trabalhadas, faturamento e capacidade instalada mostraram queda em junho; contudo, houve alta no total de empregos

SÃO PAULO – A CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou nesta quarta-feira (3) os indicadores industriais referentes ao mês de junho, mostrando que a grande parte deles registrou desaceleração no segundo trimestre. “Após intenso crescimento no primeiro trimestre do ano, a atividade industrial mostrou uma pausa no segundo trimestre”, disse a confederação em informativo divulgado em seu site.

Durante o mês de junho, o faturamento real da indústria de transformação recuou 0,6% frente maio, conforme os dados dessazonalizados. Já na comparação com o mesmo período do ano passado, a alta foi de 10%, “o que representa um ritmo de crescimento inferior ao registrado nos meses anteriores”.

Já o volume faturado entre abril e junho caiu 0,3% frente ao primeiro quarto do ano, período no qual foi visto um crescimento de 2,9% nesse indicador, informa a CNI. O número total acumulado no primeiro semestre de 2010 mostra a mesma expansão vista no mesmo período do ano passado (+12%).

PUBLICIDADE

UCI e emprego
A Confederação também anunciou que a UCI (Utilização da Capacidade Instalada) recuou 0,2 ponto percentual entre maio e junho, sendo esta a segunda queda seguida em dados dessazonalizados, atingindo 82,5% no mês. Contudo, na passagem anual, a capacidade instalada registrou avanço de 3,1 pontos percentuais. 

Ainda segundo a análise, junho foi um mês positivo para o emprego industrial. Com uma alta de 0,5% na passagem mensal, o indicador “superou pela primeira vez o nível pré-crise, em 0,3%”. Em relação ao mesmo mês de 2009, a expansão é de 6,6%. Já na comparação entre os dois primeiros semestres, é relatada uma evolução de 4,3%, informa a CNI.

Horas e massa
As horas trabalhadas em junho subiram 0,3% em relação a maio, após ajuste para a sazonalidade. Na comparação ano a ano, a alta é ainda superior, de 8,6%. Contudo, o resultado trimestral de 0,3% positivo mostrou uma significativa desaceleração frente ao crescimento de 3,2% entre janeiro e março deste ano.

Por último, a massa salarial mensal recuou 0,6% em relação ao quinto mês do ano – utilizando dados originais. Contudo, em relação a junho de 2009, é visto um avanço na faixa de 7,6%. Já no acumulado do ano, houve um crescimento de 5,2% frente ao mesmo período do ano passado. No entanto, essas duas altas mostram-se mais amenas do que aquelas vistas no mês anterior, diz a CNI.