CNI: faturamento e UCI recuam em julho, mas horas trabalhadas aumentam

Indicadores industriais de julho tem como destaque o faturamento do setor, que registrou queda 4,2% na passagem anual

SÃO PAULO – A CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou nesta terça-feira (6) seus indicadores industriais referentes ao último mês de julho, destacando o faturamento real, que cresceu 0,6% em julho, frente ao mês anterior (dessazonalizado). Comparativamente ao mesmo mês do ano anterior, o faturamento desacelerou a expansão de 5,5% em junho para 1,3% em julho.

Por sua vez, as horas trabalhadas cresceram 1,2% em julho, na comparação com junho, na série dessazonalizada, interrompendo dois meses de queda. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, as horas trabalhadas passaram a recuar 0,2%. Em junho, a alta foi de 1,2%.

Segundo a CNI, a indústria operou, em média, com 82,1% da capacidade instalada em julho, também no indicador dessazonalizado. O UCI (Utilização da Capacidade Instalada) recuou 0,3 p.p. frente a junho. Comparativamente ao mesmo mês do ano anterior, o indicador ficou 0,7 p.p. menor.

PUBLICIDADE

Emprego e rendimento médio
Já o emprego ficou estável (0,1%) em julho, frente ao mês anterior. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o crescimento do emprego continuou perdendo ritmo, para 2,1% em julho.

A massa salarial real, sem ajuste sazonal, avançou 3,5% em julho, frente a junho. No mesmo mês do ano anterior, o indicador havia crescido 4,8%.

Por fim, o rendimento médio real do trabalhador industrial aumentou 3,3% em julho, frente a maio (sem ajuste sazonal). Comparativamente ao mesmo mês do ano anterior, o rendimento real cresceu apenas 2,1% em julho.