CNI: 44% acham que renda pessoal aumentará nos próximos seis meses

Segundo o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor, outros 15% afirmaram que a renda vai diminuir

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com o Inec (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor), divulgado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) nesta segunda-feira (7), 44% dos brasileiros acreditam que sua renda pessoal vai aumentar nos próximos seis meses, levando em conta a situação do País.

Segundo o levantamento, realizado com 2.002 pessoas entre os dias 19 a 23 de março, outros 42% crêem que a renda pessoal não irá mudar. Já os que disseram que ela vai diminuir somaram 15%.

Renda geral

Considerando a renda geral, 41% dos entrevistados disseram que ela não vai se alterar nos próximos seis meses, contra 37% que pensam que ela vai aumentar e 22% que acreditam que ela irá diminuir.

Aprenda a investir na bolsa

Ainda conforme o levantamento, tanto o indicador da renda em geral quanto o de expectativa de evolução da própria renda registraram avanço, de 4% e 1,6%, respectivamente, na comparação com o trimestre anterior, atingindo 113,4 e 110,7 pontos.

Ambos os indicadores, que subiram 4,4% (renda geral) e 2,9% (própria renda) na comparação com março de 2007, refletem o crescimento do emprego e dos salários reais.

Aumento do desemprego

A pesquisa mostra também que 44% dos brasileiros crêem que o desemprego vai aumentar nos próximos seis meses, enquanto 33% afirmaram que vai diminuir e outros 23%, que não vai se alterar.

Na análise por regiões, os moradores do Sudeste demonstraram ser os menos otimistas, com 46% deles declarando que o desemprego vai aumentar.

Por outro lado, o Norte/Centro-Oeste concentra o maior número de entrevistados que afirma que o desemprego vai diminuir (39% em cada região). Já os moradores do Sul/Sudeste são os que mais acreditam que a situação não deve se alterar (ambas com 26%).