AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO da Tupy comentam os números da empresa de metalurgia

Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO da Tupy comentam os números da empresa de metalurgia

Clima entre funcionários preocupa empresas e é considerado na remuneração

Além disso, em 32% das empresas, os resultados da pesquisa de clima entram na avaliação do desempenho

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A realização de pesquisas de clima organizacional no Brasil não é apenas uma prática bastante difundida entre as empresas, como já está atingindo sua maturidade e, cada vez mais, vem se tornando uma tendência mundial no mercado.

A conclusão é da Watson Wyatt, que divulgou na segunda-feira (29) a “Pesquisa sobre Gestão de Clima Organizacional – Engajamento e uma nova fronteira: A efetividade do colaborador”.

Maioria das empresas se preocupam

O estudo constatou que 67% das empresas realizam pesquisas de clima organizacional. Dentre as que não executam, no entanto, 26% pretendem implantar a medida. De modo geral, essa prática vem sendo desenvolvida, em média, há seis anos, com uma adesão significante dos colaboradores.

Aprenda a investir na bolsa

Na análise por área de atuação, a prática é mais comum em empresas de telecomunicações, serviços públicos, energia e água, com uma incidência de nada menos que 100%. Em seguida, aparecem as do setor automotivo e de autopeças (87%) e de alimentos, agricultura, bebidas e fumo (78%).

Clima conta na avaliação de desempenho

Em 32% das empresas, os resultados da pesquisa de clima entram na avaliação do desempenho. Quarenta e dois por cento das companhias também pretendem implantar a medida.

Além disso, os resultados são usados como índice para a remuneração variável, presente hoje em apenas 15% das empresas, mas com perspectivas de introdução em mais 28% das entrevistadas.

Executivos priorizam clima

A decisão sobre a realização da pesquisa de clima vem subindo na agenda dos executivos, mas seus principais deliberadores continuam sendo os presidentes, CEOs (diretores executivos) e integrantes do comitê executivo, em 46,6% dos casos.

A Gestão de Clima Organizacional é implantada nas empresas por várias razões, entre as quais destacam-se:

  • Identificar/mensurar os pontos fortes da empresa e os de melhoria (89,6%);
  • Melhorar o ambiente de trabalho (74,1%);
  • PUBLICIDADE

  • Usar resultados como uma ferramenta de desenvolvimento para o RH (71,9%);

Apesar de, atualmente, o questionário ser a ferramenta mais utilizado para a realização das pesquisas, aposta-se na diversificação das metodologias: focus groups, reuniões/entrevistas e análise documental, entre outros, com aprofundamento das análises e uso de TI.

Além disso, a pesquisa apurou a redução no ciclo de sua aplicação, com mais organizações (46%) efetuando o trabalho anualmente e menos (38%) o fazendo bienalmente.

Desafio

O grande desafio no que se refere ao clima organizacional é a efetividade de implementação dos programas que visam à sua melhoria.

Embora a maioria das empresas reconheçam a importância do trabalho, considerando-o crítico e estratégico para o desempenho financeiro frente à concorrência, apenas 22% conseguem realizar mais de 75% dos seus planos de ação. O estudo ressalta que essa efetividade de execução independe do tempo que a prática de clima tem na organização.

Sobre a pesquisa

A pesquisa envolveu 194 empresas nacionais, com receita média de R$ 1 bilhão e número de aproximadamente 2.300 funcionários, atuantes em diferentes segmentos, como serviços diversos; alimentos, agricultura, bebidas e fumo; química e petroquímica; automotivo e autopeças; farma, higiene e cosméticos.