CIEE seleciona melhores empresas para estagiar e dá dicas de como avaliar estágio

Flexibilidade em época de provas, carga horária não prejudicial, tratamento igualitário e orientação são itens a serem avaliados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola) entregou os prêmios às 50 classificadas da pesquisa Melhores Empresas Para Estagiar, no mês passado. Os vencedores foram classificados a partir da avaliação de seus próprio estagiários e da análise de 26 quesitos técnicos, dados levantados em pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência e apoiada pela seccional paulista da ABRH-SP (Associação Brasileira de Recursos Humanos).

A premiação é anual e está sem sua segunda edição. O objetivo é reconhecer a qualidade dos programas de estágios das organizações que investem na preparação prática dos estudantes para o mercado de trabalho. Além disso, visa a gerar um efeito multiplicador, com a divulgação de cases de sucesso em programas de estágio.

As dez mais

Conheça as dez empresas que estão no topo da lista:

  • Dia System;
  • Aprenda a investir na bolsa

  • Apsen Farmacêutica;
  • J&W Tecnologia de Trânsito;
  • Rodobens Administradora e Corretora de Seguros;
  • Cooperativa de Crédito Rural – Coopercitrus;
  • Duke Energy Geração Paranapanema;
  • Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica;
  • PUBLICIDADE

  • Organon do Brasil Indústria e Comércio;
  • Tókio Marine Brasil;
  • Método Engenharia.

Avaliação

Para Regina Hein, da área de desenvolvimento de projetos do CIEE, alguns quesitos caracterizam um bom programa de estágio: a flexibilidade de horário em época de provas, a carga horária que não prejudica os estudos, o tratamento igualitário e a orientação na realização das atividades.

“É importante que o estagiário tenha com quem buscar respostas quanto às dúvidas de como realizar as tarefas. Mas a orientação deve ser dada por um profissional de fato capacitado”, explica Regina, que também coordena a parte técnica do projeto, ao lado das instituições apoiadoras. “Na faculdade, aprende-se a teoria separada por disciplinas. Alguns estagiários têm dificuldade de integrar tudo”.

Quanto à possibilidade de efetivação, ela diz que não é o fator primordial. “Algumas empresas, como órgãos públicos, não efetivam ninguém, porém, não queremos bitolar as pessoas nessa coisa de emprego. Caso a experiência que o estagiário estiver tendo for enriquecedora, pode acrescentar no currículo e ser muito mais benéfica futuramente”, explica.

Porte da empresa

Ainda de acordo com Regina, um bom estágio independe do porte da empresa, pois há empresas pequenas com programas muito interessantes. Além disso, são aprendizados diferentes. “Em uma grande empresa, o estagiário tem acesso a recursos e processos inexistentes em empresas pequenas, onde, por outro lado, ele tem uma visão importante do todo, um ponto de vista abrangente sobre o que faz uma organização funcionar. As duas experiências são válidas e o ideal é que o estudante passe por ambas.”