Chega o final do ano, e as provas: como pais podem ajudar filhos vestibulandos?

"É hora de entender que o pré-vestibulando precisa dedicar-se ao estudo, sobrando tempo, ele deve descansar", diz psicóloga

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Pais preocupados, jovens estressados. A casa de uma família que tem um vestibulando é só ansiedade no final do ano, com a chegada das provas. “Pode parecer exagero, mas toda a família tem de colaborar com o vestibulando”, afirmou a psicóloga Márcia Ferreira.

Com simulados, cursinho, revisões, há pouco tempo para o lazer e a família. Os pais devem entender isso. Nada de cobrar demais pela presença do filho. “É hora de pais e amigos entenderem que o pré-vestibulando precisa dedicar-se com afinco ao estudo, sobrando tempo, ele deve descansar”.

Escolha da carreira

Em primeiro lugar, nada de atritos. “A escolha da carreira e da faculdade gera constantes discussões, o que pode afastar os pais dos filhos em um momento em que é fundamental eles estarem unidos”.

Aprenda a investir na bolsa

Cabe ao estudante decidir que carreira irá seguir. Os pais devem ajudar apenas dando apoio para que o jovem tenha certeza da escolha. Isso significa colocá-lo em contato com um profissional da área, fornecendo livros, revistas e materiais que expliquem um pouco sobre a profissão e atividades ligadas a ela.

“Porém, o pai não deve impor ou decidir o caminho da vida profissional do filho, já que ele ficará infeliz e não será um bom profissional. Cada um precisa seguir seu caminho mesmo que ele não agrade completamente”.

Rigidez no estudo

É preciso estimular o estudo: evite fazer barulho, entrar no ambiente em que o jovem está estudando e desviar a atenção do jovem.

Normalmente, os jovens tendem a pensar que darão conta de tudo: ainda estão no colégio e precisam passar de ano, mas querem fazer cursinho, academia, jogar futebol e sair com os amigos, fora as aulas de inglês e as viagens com o pessoal. Os pais também têm o papel de dar limites. “Eles precisam realmente agir com firmeza e determinar a redução de atividades para que ele [jovem] se dedique aos estudos”.