Chefes abusivos podem afetar vida familiar. Saiba como lidar com isso

Psicóloga sugere que profissionais evite superdimensionar os problemas do trabalho; apoio da família também pode ajudar

SÃO PAULO – Trabalhar com chefes que ultrapassam os limites e desrespeitam os subordinados causa problemas não apenas no trabalho mas, também, pode fazer com que as relações no ambiente familiar fiquem bem tensas. Essa é a conclusão de um estudo realizado pela Baylor University e publicado no Personnel Psychology.

O levantamento mostrou basicamente que o estresse e a tensão causada por conta de chefes abusivos têm um impacto intenso na família dos empregados. Os efeitos podem afetar tanto o casamento, quanto as relações com os demais membros da família.

O estudo quis, sobretudo, enviar uma mensagem para as empresas, alertando sobre o quanto é importante que os chefes tratem seus subordinados com respeito, pois, caso contrário, os danos podem ser profundos.

PUBLICIDADE

Dificuldade no trabalho e a família
A professora de psicologia organizacional e do trabalho da PUC-SP, Carmem Rittner, concorda que as empresas precisam garantir um ambiente saudável para manter o profissional estimulado e entregando resultados. Porém, caso a empresa não seja eficaz nesse sentido, há algumas dicas que ajudam os profissionais a não destruir sua família por conta de problemas no trabalho.

Carmem explica que os profissionais tendem a dar mais importância ao chefe do que ele realmente merece. Isso, de forma alguma, quer dizer que não se deve respeitar a hierarquia, mas, significa dizer que o chefe, além de chefe, é um ser humano como todos os outros, cheio de dúvidas, inseguranças e incertezas.

Por conta disso ele pode acabar tratando o funcionário de forma abusiva, mas não porque o funcionário realmente mereça, mas sim para se proteger. “O chefe pode ser muito grosso porque ele quer ofuscar sua personalidade frágil e fraca”, explica Carmem. A sugestão, portanto, é nunca deixar de respeitá-lo, mas não dê a ele o poder de te afetar.

Para isso, é preciso que o profissional tenha uma visão mais crítica dos acontecimentos. Na prática, observe se seu chefe o tratou de forma rude ou grossa porque você realmente fez algo errado ou porque ele não está nos seus melhores dias. Assim, você não permite que o tratamento o afete.

Outra sugestão é contar com a análise de outros profissionais, “colocar a questão em perspectiva”, afirma Carmem. Então, troque ideia, analise a situação, tente entender, com o auxílio de outros profissionais, o que está acontecendo.

Família: converse
Se o profissional for capaz de filtrar os abusos do chefe, isso vai refletir positivamente no lar, já que ele vai deixar de levar estresse e tensão para a casa. Mas saber agir com a família em questões ligadas ao mundo profissional também é algo que evita brigas e discussões.

PUBLICIDADE

De acordo com Carmem, muitos profissionais não querem contar nada desagradável para a família porque tem medo que eles se preocupem com uma possível demissão e, consequentemente, falta de dinheiro. Porém, deixar de compartilhar suas preocupações com a família significa deixar de contar com o apoio dela, que em muitos casos, é a resposta para muitos problemas.

A sugestão é recorrer à conversa. Seja claro sobre o que está acontecendo, mas tente passar a dimensão correta do problema, sem supervalorizá-lo. Muitos podem querer evitar essa conversa também por causa do orgulho, mas, de novo, o apoio da família pode ser fundamental.