AO VIVO Do Zero Ao Gain: André Moraes fala sobre teoria de Dow, conceito de tendência e médias móveis

Do Zero Ao Gain: André Moraes fala sobre teoria de Dow, conceito de tendência e médias móveis

Chances de conseguir emprego estão maiores neste semestre, diz Dieese

"Chegamos ao fundo do poço no primeiro semestre, mas há sinais de que o mercado começa a reagir", diz diretor técnico

SÃO PAULO – Quem está em busca de uma posição no mercado de trabalho terá mais chances de encontrá-la neste segundo semestre, de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos).

“Chegamos ao fundo do poço no primeiro semestre, mas há sinais de que o mercado de trabalho começa a reagir positivamente, embora não seja [uma reação] linear. Num mês, às vezes melhora em um setor e fica pior em outro. Mas, na média, o volume de postos de trabalho vem reagindo, ainda que lentamente”, disse o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, segundo a Agência Brasil.

As projeções, de acordo com ele, são de aumento na geração de vagas em todos os setores no restante de 2009, o que permitirá uma redução da taxa de desemprego até o final do ano.

Estabilidade

PUBLICIDADE

A taxa de desemprego medida pelo Dieese ficou praticamente estável entre junho e julho, passando de 14,8% para 15% da população economicamente ativa. Em julho, o contingente de desempregados foi estimado em 3,029 milhões de pessoas, 45 mil a mais do que em junho.

No sétimo mês do ano, a taxa de desemprego registrou a maior alta em São Paulo, passando de 14,2% para 14,8%. Por outro lado, a taxa apresentou a maior queda no Distrito Federal, de 16,4% para 15,9%. Em Belo Horizonte e Porto Alegre, por sua vez, a taxa permaneceu estável.

“Se não fosse o resultado ruim e atípico que constatamos em São Paulo, certamente teríamos no conjunto uma redução da taxa de desemprego”, disse Lúcio.