Telefonia

Cerco da Anatel não prejudicará empregos de Telecom, garantem especialistas

Sindicato afirma que empresas não demitirão funcionários da área de vendas apesar das restrições da Agência Nacional de Telecomunicações

SÃO PAULO – O cerco fechado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) às companhias de telefonia móvel do País no último mês têm deixado muitos profissionais do setor de telecomunicações de cabelos em pé. A pergunta que não quer calar é: será que as adequações impostas pela Anatel poderão prejudicar os trabalhadores do setor?

De acordo com o presidente do Sintetel (Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações no Estado de São Paulo), Almir Munhoz, não, mas isso, é claro, somente se as companhias atenderem o compromisso de investir mais de 20 bilhões até 2015 no setor.

“É claro que os trabalhadores ficam com receio de perder o emprego diante das medidas anunciadas, contudo, as próprias empresas têm informado em publicações internas que atenderão às exigências e que nenhum emprego será ameaçado”, garante Munhoz.

PUBLICIDADE

Na opinião dele, se as companhias se adequarem, o que parece estar acontecendo, ninguém perderá o emprego, especialmente no que diz respeito aos profissionais da área de vendas – teoricamente os mais prejudicados com a decisão da Anatel de suspender a comercialização de produtos das operadoras.

“As vendas impactam no futuro e não no presente e o sindicato fechou um acordo com as empresas para evitar demissões”, avisa Munhoz.

Agitação à vista
Mas apesar da confiança dos representantes do sindicato, os profissionais do setor parecem já sentir na pele essa agitação. Segundo o gerente da divisão de vendas da Michal Page, Zuca Paladino, o setor de recrutamento o seleção tem observado uma movimentação de profissionais de vendas do segmento de telecomunicações. “Nas últimas três semanas temos observado um aumento de colaboradores que têm buscado orientação sobre o mercado de Telecom”, diz Paladino.

Na opinião dele, como a credibilidade do trabalho das empresas está sendo questionada e as vendas destes profissionais dependem de remuneração variável, muitos deles estão começando a especular o mercado para não ficarem na mão.

“Essa é uma atitude esperada diante de tal cenário, mas ainda é muito cedo para dizer que a ação da Anatel terá um impacto negativo na vida destas pessoas”, afirma Paladino.

Indústria será beneficiada
E se os empregos não serão afetados de forma negativa, a expectativa dos especialistas é que, em breve, as oportunidades aumentem principalmente na indústria. “As vagas serão na área de infraestrutura. As operadoras deverão melhoras seus serviços, cobertura de rede e melhoria de sinal, e isso, irá gerar oportunidades na indústria e nos serviços”, conta Paladino, que acredita que esta será uma mudança muito positiva para o setor.

PUBLICIDADE

“As vendas podem cair, mas a qualidade dos serviços irá aumentar e isso poderá ser observado em três meses. A indústria começou o ano mal e com as exigência da Anatel o ano deverá terminar melhor em termos de crescimento de serviços e produtos para as operadoras”, conclui Paladino.