diz pesquisa

CEOs que prestaram serviço militar são melhores líderes

Estudo revela que, além de entregarem resultado sob pressão, esses executivos são 70% menos propensos a se envolver em fraudes

SÃO PAULO – Um estudo realizado por dois professores de finanças da Kellogg School revelou que CEOs que passaram pelo serviço militar são melhores líderes que aqueles que não tiveram esta experiência.

Carola Frydman e Efraim Benmelech reuniram dados biográficos dos principais executivos das 800 maiores empresas dos Estados Unidos, entre os anos de 1980 e 1991, e de cerca de 1.500 empresas de capital aberto dos Estados Unidos, de 1992 a 2006.

A análise dos autores revelou que os CEOs com experiência militar sabem lidar mais com situações sob pressão que os demais líderes. “Nossa interpretação é que as forças armadas podem preparar uma pessoa para tomar decisões difíceis e liderar em tempos difíceis”, disse Benmelech.

PUBLICIDADE

Os pesquisadores também identificaram outra associação entre os militares e o comportamento corporativo conservador. Segundo eles, os CEOs que passaram pela experiência demonstraram uma visão mais estratégica, com um traço conservador na tomada de decisão. “As forças militares modernas são organizações muito hierárquicas e burocráticas. Elas são incrivelmente boas no treinamento de soldados e de comandantes”, descreveram os autores.

Além disso, os CEOs militares são 70% menos propensos a se envolver em fraudes corporativas em relação aos demais executivos.

Segundo os pesquisadores, há duas hipóteses que justificam essa tendência. A primeira é que, a maioria das empresas que busca evitar práticas fraudulentas ou precisa se recuperar de uma crise procura justamente os executivos que tenham passado pelo serviço militar para ajudá-las. A segunda aponta que a iniciativa de combater a corrupção parte dos próprios profissionais, já que foram preparados nos moldes conservadores de práticas financeiras éticas.