Conheça

CEO de fintech de sucesso dá conselhos para quem quer empreender

Sediada em Londres, a Funding Options fatura hoje em dia milhões de libras por ano

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Conrad Ford é CEO da Funding Options, uma fintech que une empresas que precisam de financiamentos e credores que se interessam no negócio. A empresa foi fundada em 2011 e oferece opções de crédito para empresas na internet, de acordo com suas necessidades específicas.

Segundo Ford, a empresa hoje tem um bom faturamento, mas nem sempre foi tão lucrativa. A Funding Options passou por anos difíceis no início. “Existem algumas fintechs no mundo das startups que parecem ter alcançado o sucesso no primeiro dia. Nós certamente não fazemos parte dessa categoria. Levamos dois ou três anos para dispararmos rumo ao sucesso”, disse Ford em entrevista ao Business Insider.

Ford contou o que ele recomendaria para quem está começando agora e quer entrar para o ramo das startups. Confira os 6 conselhos que ele aprendeu com suas próprias experiências:

PUBLICIDADE

 1. Ter experiência antes de abrir seu negócio é importante

O empresário diz que no começo de carreira se você estiver na dúvida de aceitar uma oportunidade de emprego em uma grande instituição financeira, por exemplo, ou abrir uma fintech, deve começar pela opção menos empreendedora, para ganhar experiência. 

“Pessoalmente, penso que nos estágios iniciais da carreira, a menos que você seja extraordinariamente empreendedor, juntar-se a uma grande instituição, que ofereça, por exemplo, uma pós-graduação, provavelmente é a melhor coisa que você pode fazer. As chances de aprender novas habilidades são enormes”, afirmou.

Em suma, ter um pouco de experiência do mundo de negócios antes de abrir uma fintech é importante para não começar às cegas. E você adquire um background de vivências e técnica. 

“O mundo muda constantemente e só vai acelerar, algumas oportunidades podem não aparecer daqui três anos”, disse Ford. “E para abrir seu próprio negócio, provavelmente estará melhor preparado se tiver alguma experiência”.

2. Se prepare para estar errado

Quando Ford trabalhou para um grande banco ganhou muita experiência e acreditava que sabia um pouco sobre financiamentos. No entanto, quando abriu a Funding Option, rapidamente descobriu que não era bem assim quando se administrava um negócio próprio.

“Eu fiz pesquisas com clientes, com a concorrência, analisei as possibilidades e muitas outras coisas que aprendi no banco”, disse ele. “Cada peça da pesquisa me deu um resultado, mas quando tentei aplicar no mundo real, não deu certo”, lamenta.

Ele explica que por mais que você tenha uma experiência, é preciso estar preparado para o erro e para se recuperar depois. Nem sempre, a experiência é sinônimo de acertos.

3. Errar não é algo ruim

De acordo com a Ford, é difícil fazer algo perfeito na primeira vez, e tudo bem errar e ir ajustando o plano de negócios, tentando diferentes meios de fazer a empresa deslanchar. “Você precisa aproveitar o fato de você poder conversar e mudar de curso das coisas. Você pode se dar ao luxo de errar. Errar é importante para evoluir”, diz.

4. Adote a mentalidade de uma startup

Ford conta que no banco podia trabalhar durante tempos longos em um projeto. Quando começou sua fintech, a equipe trabalhou por cerca de um ano antes de lança-la ao público, e mesmo assim no começo não deu certo. Em retrospectiva, Ford afirma que poderia ter aprendido tanto quanto aprendeu se tivesse lançado logo no primeiro dia.

“Aprendi da maneira mais difícil, perdi um ano da minha ida e tive que reajustar uma série de coisas”, avalia. “Você precisa ser rápido e ágil. Esse foi o maior desafio para mim”, orienta.

PUBLICIDADE

5. Você não vai querer crescer muito rápido

A empresa de Ford registrou um aumento de 14 vezes nas receitas nos últimos dois anos. “Hoje agradeço por não ter tido um aumento meteórico quando começamos, porque eu poderia ter me enrolado para administrar e nesse meio tempo eu tive a oportunidade de estudar muitas coisas para entender melhor meu negócio. É bom ir aos poucos e amadurecer durante o processo. Mas claro que nem sempre escolhemos ser assim”, disse.

Além disso, quando uma empresa gera muito dinheiro, a equipe geralmente cresce junto com ela. A Funding Option tem atualmente cerca de 25 funcionários, e Ford gosta dessa equipe reduzida e não pretende aumentar, porque isso significa que pode confiar em seus funcionários de olhos fechados e pode garantir que a equipe trabalha em conjunto para manter a fintech rumo a mais lucros.

6. Se pergunte se está psicologicamente preparado

Ford diz que ele encontrou uma resiliência em si mesmo, que já sabia que tinha ao iniciar a fintech. Nos primeiros dois ou três anos difíceis, quando as coisas não estavam saindo como o  planejado, ele descobriu como lidar com as coisas que são – no início –  questão de vida ou morte.

“Nada pode prepará-lo para o momento, por exemplo, que você não tem certeza se vai conseguir pagar sua equipe no fim do mês”, disse. “A questão é que no início os rumos que sua empresa vai tomar nem sempre serão conhecidos e você precisa estar preparado para lidar com a pressão, responsabilidade e inseguranças que eventualmente podem surgir”.

Ele diz que “trabalhar em uma startup pode parecer glamoroso, mas também é um risco enorme para o qual você precisa estar preparado”. 

7. Esteja preparado para adaptações

PUBLICIDADE

O ramo das fintechs se desenvolve e evolui muito rápido e por isso o empresário acredita que o sucesso do negócio vem do poder de adaptação. “Não somos grandes, mas não acho que haja algo que aconteça tão rápido que não possamos acompanhar. Somos uma empresa de tecnologia financeira, o que surgir de inovação vamos tentar fazer para acompanhar o mercado e lucrar mais”.