Carteira assinada: 86,6 mil vagas de emprego foram abertas no País em janeiro

Bom desempenho de Serviços foi influenciado pelo aquecimento do turismo; Indústria e Agropecuária se recuperam

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No mês de janeiro foram criadas 86.616 vagas de emprego com carteira assinada no Brasil, um crescimento de 0,33% em relação ao mês anterior.

A informação faz parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira (23) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho.

O resultado, de acordo com o estudo, foi determinado pelos saldos positivos ocorridos em praticamente todos os setores, com destaque para a expansão de Serviços e Construção Civil, além da recuperação da Indústria da Transformação e Agropecuária, em razão de um ambiente econômico favorável e de fatores sazonais.

Turismo impulsionou Serviços

Aprenda a investir na bolsa

Em janeiro, o Setor de Serviços respondeu pela geração de 40.009 postos de trabalhos, um crescimento de 0,37% em relação ao mês anterior.

O bom desempenho foi motivado, principalmente, pelo aquecimento das atividades ligadas ao turismo. Somente o segmento de Serviços de Alojamento e Alimentação foi responsável pela criação de 20.987 vagas (avanço de 0,53%), melhor resultado para o mês divulgado pela série do Caged.

O Setor da Construção Civil seguiu a mesma tendência, alcançando, no balanço de janeiro, o melhor resultado para o mês: 21.244 novos postos de trabalho, com expansão de 1,82%.

Indústria e Agropecuária em recuperação

Segundo o ministro Luiz Marinho, a agropecuária inicia agora um processo de recuperação, após o movimento de queda verificado em 2005.

A declaração é justificada pelos resultados atingidos pelo setor no mês passado, quando foram criadas 7.953 novas vagas de trabalho, praticamente o dobro da marca atingida em janeiro de 2005 (4.060 postos).

A indústria de transformação abriu 19.408 vagas, sinalizando um crescimento de 0,31%. Destaques para a indústria química (5.035 postos), metalúrgica (4.834 postos) e mecânica (4.057 postos).

Comércio no sentido oposto

PUBLICIDADE

O comércio, de acordo com o Caged, foi o único setor da economia que eliminou postos de trabalho em janeiro de 2006: foram 5.211 vagas a menos.

A queda, de 0,09%, é atribuída à dispensa de empregados contratados para as vendas de fim de ano.

Análise regional

A pesquisa revela elevação no nível de emprego na região Sudeste (62.439 postos), Sul (26.476 postos) e Centro-Oeste (14.050 postos).

No mês de janeiro, os melhores desempenhos foram verificados em São Paulo (47.121 postos) e em Santa Catarina (11.491 vagas).

No sentido contrário, a Região Nordeste apresentou saldo negativo em 16.488 vagas de emprego formal, principalmente nos estados de Pernambuco (-10.216 postos), Paraíba (-5.478 vagas) e Rio Grande do Norte (-3.254 vagas).

O resultado negativo foi atribuído a fatores sazonais, relacionados principalmente à cadeia de cana-de-açúcar.