Carreiras: as profissões que surgiram com o celular

Carreiras voltadas para áreas como design gráfico, desenvolvimento de redes e aplicativos, criação e programação foram algumas delas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de 20 anos da chegada do celular no Brasil, ele se tornou uma espécie de equipamento multimídia na vida de seus usuários. Contudo, para que esse projetos fossem idealizados e, principalmente, realizados, muitas profissões tiveram de ser criadas.

Carreiras voltadas para áreas como design gráfico, desenvolvimento de redes e aplicativos, criação e programação foram algumas das possibilidades abertas no mercado de trabalho, por conta do celular.

“Evoluímos de um celular para um minicomputador. Com isso, o aparelho se tornou diferente para cada um, uma verdadeira extensão da nossa mão”, afirma o diretor da empresa de mobile marketing Agência Fluída, Daniel Mendes.

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com o executivo, com o ritmo no qual as novas tecnologias avançam, em especial as voltados para a comunicação móvel, novas profissões voltadas para a área irão surgir.

Postos principais
As principais profissões originárias da expansão tecnológica do celular são aquelas destinadas ao complemento e desenvolvimento de seu sistema interno, como redes e aplicativos.

O design gráfico é uma delas. Responsável por aplicar cores e programas gráficos no sistema interno do aparelho, esses profissionais trabalham para levar novos padrões visuais ao usuário de telefonia móvel.

Nesse mesmo leque de novas carreiras, estão os profissionais de desenvolvimento. Segundo Mendes, esse grupo cresceu exponencialmente nos últimos anos em função da demanda por aplicativos no celular.

“Essa é uma área que concentra uma enorme riqueza de trabalho, pois cada tipo de aplicativo envolve um profissional desenvolvedor com habilidades únicas”, descreve o especialista.

Na área de criação, o mercado de trabalho também vem ganhando força. O talento nesse segmento envolve levar ao celular usabilidade e arquitetura da informação. Ou seja, planejar mecanismos que prezem pelo bom funcionamento e uso da interface do aparelho.

PUBLICIDADE

Mercado de trabalho
Na avaliação do diretor da Agência Fluída, o mercado de celulares no País está bem desenvolvido, porém, ainda existe muito a ser explorado pelas empresas.

Por essa observação, Mendes sustenta que a demanda por profissionais irá aumentar demais, acarretando em uma possível escassez de mão-de-obra especializada.

“Esses profissionais estão com bons salários e perspectivas, por ser uma área que só cresce. No entanto, esses especialistas estão se tornando cada vez mais raros no País”.

O motivo, explica Mendes, pode estar relacionado ao fato de as empresas internacionais, por oferecerem altos salários e boas condições de carreira, acabarem por levar os profissionais brasileiros.