Carreiras: alimentação é peça-chave para rendimento profissional

Para combater o estresse, por exemplo, frutas, como banana e abacate, são boas aliadas, diz especialista

SÃO PAULO – Quem quer ter bom rendimento no trabalho deve ficar atento ao que coloca na boca. Isso porque, segundo explica a nutricionista e diretora do Sinesp (Sindicato dos Nutricionistas de São Paulo), Renata Azevedo, a alimentação é peça-chave no rendimento profissional.

A falta de consumo de alimentos por um período superior a quatro horas durante o dia, por exemplo, pode ocasionar problemas com as funções cognitivas, como falhas na memória, baixa concentração ou atenção.

Já a ingestão de alimentos pesados, como carnes muito gordas, feijoada, frituras, massas recheadas acompanhadas de molhos fortes, doces concentrados, entre outros, pode diminuir o rendimento e a concentração, além de aumentar o cansaço e a sonolência, por conta do maior gasto energético exigido pelo processo digestivo.

PUBLICIDADE

O que faz bem?
Ainda de acordo com a nutricionista, a alimentação equilibrada e variada é a maior aliada do bom rendimento no trabalho.

No cardápio, diz ela, no geral, o profissional deve incluir carboidratos, como arroz, pães – sobretudo integrais; proteínas, como carnes magras, frango e peixe; produtos lácteos, como leite e iogurte; além de azeite de oliva, frutas, legumes, verduras e muita água.

Para as frutas, orienta Renata, o indicado são três porções diárias, ou seja, três frutas diferentes por dia. O consumo de frituras deve ser restrito a uma vez por semana; e, no que diz respeito ao famoso cafezinho, explica, este deve ser consumido com moderação (no máximo quatro xícaras de 50 ml por dia), podendo ser substituído pelo chá verde.

Quer combater o estresse?
A nutricionista lembra ainda que a alimentação pode ser uma aliada no combate de um problema muito comum aos profissionais modernos: o estresse.

Frutas, como banana e abacate, e chocolate ajudam a liberar um hormônio chamado serotonina, que, por sua vez, é responsável pela sensação de prazer. Outras boas opções, mas que devem ser adotadas de forma moderada, são as castanhas, nozes e amêndoas.

“Quanto ao chocolate, cuidado: ao mesmo tempo que é aliado, ele é vilão”, explicou a nutricionista, em referência às calorias que ele possui. “Os meio amargos ou totalmente amargos são benéficos ao corpo, auxiliam no sistema cardíaco, além de possuírem menos calorias”.