Carreira: veja dicas dos dois headhunters brasileiros mais influentes no mundo

Eles estão entre os 100 mais influentes e aconselham aos profissionais que saibam ouvir e que estejam a serviço

SÃO PAULO – Eles controlam o acesso dos profissionais aos cargos mais almejados em todo o mundo. Pesquisam, selecionam e proporcionam a poucos a possibilidade de ocupar os postos ‘top’ nas melhores companhias. Eles são os chamados headhunter.

Quem pensa que o Brasil ainda tem muito a caminhar neste tipo de profissão está enganado. O País já está sendo reconhecido mundialmente. A lista dos 100 headhunters mais influentes do mundo, promovida pela revista BusinessWeek, inclui dois brasileiros.

Para a seleção dos profissionais da lista, foram usados critérios como a reputação individual, anos de experiência, o reconhecimento global de suas práticas de recrutamento, acessibilidade e reconhecimento das firmas, entre outros.

Quem são eles?

PUBLICIDADE

O primeiro brasileiro na lista é o especialista na área de finanças e varejo e CEO da FESA Global Recruiters, Alfredo José Assumpção. A figura histórica que mais admira é o ex-presidente dos EUA, Bill Clinton, por sua habilidade de gerenciar.

Ao ser questionado sobre um conselho que daria para a carreira, ele disse: “no momento atual, onde tudo está conectado, existe apenas uma maneira de salvar todo o mundo, incluindo os aspectos econômicos e de negócios: estar a serviço”.

Outro brasileiro na lista é Jacques Sarfatti, especialista em diversos setores, entre eles, o de energia e de engenharia e construção. A figura que mais admira é o cientista Albert Einstein, por sua contribuição para a humanidade.

O conselho que dá a todos os profissionais é o seguinte: “construa times, esteja preparado para ouvir, divida suas forças e trabalhe suas fraquezas”.

Mercado

O mercado de procura por executivos movimenta um montante de US$ 10 bilhões em todo o mundo. No Brasil, eles estão focados nos postos altos: presidente, gerente geral, coordenador, supervisor, chefe e consultor de empresas.

Pesquisa realizada pela Catho, no ano passado, mostrou que o índice mais alto de procura diz respeito ao cargo de presidente ou gerente geral (10,71%). Consultor de empresas ficou em segundo lugar, com 10%, seguido por coordenador, supervisor ou chefe (9,06%) e gerente (8,63%).

Outros cargos em que há incidência de contratação por meio de consultoria headhunter são estagiário (7,77%), trainee e recém-formado (7,27%), profissional especializado (7,17%) e geral (6,18%).