Carreira: use ameaça de curto prazo para vencer no longo prazo

"Temos potencial que podem nos levar ao sucesso, mesmo que no curto prazo encontremos dificuldades", diz coach

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Vivemos em meio a um grande imediatismo. Por conta disso, acabamos por prezar tudo aquilo que é feito no menor espaço de tempo possível. Mas esta pressão pela rapidez pode fazer com que os profissionais não façam a melhor escolha. Eles acabam pensando no curto prazo quando, na verdade, é preciso pensar no futuro.

Um exemplo clássico é o de um aluno recém-formado no segundo grau. Ele tem ânsia por entrar logo na faculdade. Parece um mérito ser um estudante de 17 anos na universidade. Porém, a escolha do curso pode não ser a mais correta, porque falta maturidade, e, então, será preciso começar tudo de novo. Tudo isso é resultado da importância que se dá à rapidez.

“Sou contra essa necessidade de entrar na faculdade logo depois do colegial”, afirma a consultora de Carreira do Grupo Catho, Mayra Fragiacomo. De acordo com ela, a pessoa ainda é muito nova para fazer uma escolha tão importante na vida.

Pense no longo prazo!

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com o coach executivo e de equipes Carlos Cruz, as pessoas devem pensar no longo prazo, por isso, elas não precisam ficar tão acuadas com situações desarmônicas atuais, por mais que elas se mostrem ruins.

“Os ponteiros do relógio não vão parar e se você tiver a consciência necessária para ter atitudes otimistas e pôr em prática planos de ação, com certeza poderá usar dessas situações para impulsionar seu crescimento no longo prazo”, diz o coach.

Curto prazo: oportunidades

O que o coach quer dizer é que os profissionais devem aproveitar as situações de curto prazo, mesmo que elas pareçam ameaças, como oportunidades para se darem bem no futuro. Veja o exemplo do corredor Usain Bolt, fenômeno do atletismo nas últimas Olimpíadas.

“Muito se comentou dos recordes quebrados e das vantagens que ele obteve ao final de cada corrida, mas poucos se atentaram ao fato de que, na hora do arranque, ou seja, no curto prazo, Bolt teve desvantagens em relação aos adversários por conta de sua altura, superior à dos demais. Mas por ter estudado suas características e se preparado seriamente, o jamaicano consegue transformar essa ameaça inicial em um grande diferencial, que o leva a alcançar resultados surpreendentes”.

O que devemos guardar deste exemplo? De acordo com Cruz, a resposta é simples: “temos potencial, talentos e oportunidades que podem nos levar ao sucesso, mesmo que no curto prazo encontremos dificuldades. O importante é pensar nas ações que o nosso “eu do futuro” diria para termos hoje, capazes de moldarem o nosso sucesso. Para isso, busque o autoconhecimento e lembre-se que de nada adianta pensar e sonhar sem agir”, finaliza.