Carreira: profissionais relacionam engajamento à produtividade

Segundo pesquisa, 67% dos profissionais que se consideram engajados afirmaram que podem impactar nos resultados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com a idéia de que o comprometimento pode fazer com que produzam mais, 67% dos profissionais que se consideram engajados afirmaram que podem causa impacto na rentabilidade da empresa onde trabalham, de acordo com pesquisa realizada com 90 mil profissionais em 18 países pela consultoria em recursos humanos Towers Perrin.

A pesquisa ainda concluiu que apenas 27% dos profissionais que não se sentem engajados acreditam exercer a mesma influência. Em todo o Brasil, 37% das pessoas entrevistadas disseram estar comprometidas e dispostas a dar “algo mais”, para ajudar suas empresas a ser bem-sucedidas.

Influências

De acordo com o consultor sênior da Towers Perrin no Brasil, Eduardo Prado, é crucial enfatizar a importância do comprometimento da força de trabalho nos resultados de uma empresa. “Um dos principais achados do estudo é que a organização em si é a que mais influencia o engajamento dos empregados”, afirmou.

Aprenda a investir na bolsa

A pesquisa mostrou ainda que os valores pessoais e fatores como experiência no trabalho provocam menor impacto no engajamento do que aquilo que a empresa faz.

Enquanto no mundo o interesse sincero da alta administração no bem-estar dos empregados foi apontado como o principal estímulo, no Brasil foi a recompensa oferecida pela organização em reconhecimento do atendimento excepcional a clientes.

“As opiniões das pessoas sobre a empresa são também moldadas mais pelas ações e afirmações da alta administração do que pelo que é dito e feito pelos chefes diretos dos indivíduos”.

Recompensa

O estudo mostrou ainda que os profissionais querem dar mais de si para suas empresas e para seu trabalho, mas também querem uma visão mais clara do que vão receber por isso. Além disso, eles necessitam dos líderes seniores para demonstrar inspiração, visão e comprometimento.

No Brasil, 55% dos profissionais admitiram possuir excelentes oportunidades na carreira, ante 57% que demonstram frustração com as decisões da empresa que impactam na vida profissional.