Carreira: diante da falta de talentos, empresas pagam salários mais altos

Segundo estudo, um quarto dos empregadores do mundo pagam salários "inflacionados" com relação ao ano passado

SÃO PAULO – Em razão da falta de talentos no mercado, 25% dos empregadores de todo o mundo pagam salários mais altos em relação ao ano passado. A conclusão é da pesquisa “Inflação Salarial e Escassez de Talentos”, realizada pela empresa de recursos humanos Manpower, nos meses de julho e agosto de 2006, com 32 mil pessoas, em 26 países.

De acordo com o diretor-geral da Manpower no Brasil, Augusto Costa, a escassez de talentos existe e acarreta a inflação salarial em áreas especializadas. “Como a tendência é crescente, os empregadores terão de se esforçar para reter e otimizar seus profissionais”.

Análise Regional

As regiões das Américas, Ásia e Oceania são as que mais têm inflação salarial e escassez de profissionais. Na disputa por funcionários qualificados, empregadores do Peru (46%), México (41%), Cingapura (55%), Nova Zelândia (40%), Japão (45%) e Austrália (38%) aumentam os salários para atrair talentos.

PUBLICIDADE

Em contraposição a estas regiões, na Europa se encontra a menor taxa de insatisfação na procura por profissionais. Apenas 12% de empregadores da França, 13% dos Países Baixos e 15% da Bélgica detectam problemas na formação dos candidatos.

Dentre os países analisados, a Áustria registrou a maior inflação salarial (26%), enquanto a França registrou a menor (8%).