Carreira de empresário: como montar um buffet infantil?

Aproveitar o bom momento desse setor pode ser uma boa para os interessados em montar um negócio próprio e diferente na área de entretenimento

SÃO PAULO – Realizar festas em buffet infantil tornou-se muito comum entre muitas famílias brasileiras. Com o aumento da renda, muitos pais passaram a programar a comemoração de seus filhos nesses ambientes.

Aproveitar o bom momento desse setor pode ser uma boa para os interessados em montar um negócio próprio e diferente na área de entretenimento.

“As pessoas precisam de bons ambientes e de ótimos serviços para se sentirem bem tratadas em um buffet infantil”, afirma o consultor do Sebrae-SP, Reinaldo Messias.

PUBLICIDADE

Segundo ele, quem pensa em montar um estabelecimento desses deve começar ponderando questões básicas como a escolha de público, as soluções que serão oferecidas e a expectativa de retorno financeiro com relação ao projeto.

Definido este processo, o empreendedor deve se pautar em três passos cruciais para o sucesso do negócio.

Passos
O consultor define três processos que guiarão o profissional dentro da atividade:

  • Fazer: a preocupação será em gerir toda a organização do buffet, o que envolve processos de festa, cozinha, animação – é preciso ter gente boa nessa etapa.
  • Vender: não adianta fazer bem e não vender para ninguém. É essencial se preocupar com ferramentas de divulgação, canais e locais para o qual essa festa pode ser levada – preparar o buffet móvel.
  • Resultados: estudar os controles financeiros, ou seja, mensurar se a operação garante desempenhos legais.

Pessoas
Outro ponto importante levantado por Messias diz respeito ao processo das pessoas envolvidas no negócio. Basicamente esses indivíduos podem ser divididos em dois grupos distintos: dono e não dono.

O primeiro refere-se à capacidade de o empreendedor em fazer o negócio funcionar. Entram aí itens como a capacitação profissional que este personagem deve ter na hora de gerir o buffet.

Já o segundo é dedicado à base de funcionários que este buffet deve ter. Ou seja, são pessoas competentes, que através das habilidades e conhecimentos realizarão as tarefas para levar a empresa a atingir os melhores resultados.

“Ter funcionários educados e competentes é um grande diferencial nesse ramo”, avalia Messias. No mais, o empreendedor deve fomentar a prática de parceria, trocar bases de dados com fornecedores para entender o ritmo do mercado.

“Fazer uma leitura de cenário, estudar a concorrência, e o que eu ofereço de diferente para me destacar. É recomendada uma análise das possibilidades dos serviços e produtos a serem oferecidos”, diz o consultor.

Reverter as fraquezas
A dica de como se comportar na gerência de um buffet infantil é simples: fique de olho no mercado e não deixe a concorrência ultrapassar você.

Um exemplo? De forma a suprir uma necessidade básica, porém de extrema importância no buffet, o profissional pode fazer ou pagar um funcionário para aprender, em um curso de rápida duração, os preceitos essenciais sobre animação, bolo ou decoração infantil, por exemplo.

O consultor também chama a atenção para o risco de uma ameaça atravessar o caminho desse empreendedor. “Uma suposição clássica quanto a isso diz respeito à segurança das crianças: equipes preparadas para primeiros socorros evitam que as crianças venha a se machucar”.

Planeje
Os ambientes comerciais estão sujeitos a problemas financeiros. Se o público infantil não está trazendo a rentabilidade esperada, inove, faça festas que tragam outros perfis de clientes.

“É muito importante analisar a viabilidade que uma ideia tem. Faça um plano de negócios, estude os valores envolvidos, gastos e resultados frente às receitas”, ressalta Messias.