Carreira: 80,3% dos brasileiros consideram a opção de iniciar novo negócio

Maioria acredita que aqueles que alcançaram sucesso ao iniciar um negócio têm status e respeito diante da sociedade

SÃO PAULO – No Brasil, 80,3% da população avalia o empreendedorismo como opção desejável de carreira. É o que aponta a 10ª edição da pesquisa GEM (Global Entrepeneurship Monitor), divulgada na terça-feira (6) pelo Sebrae e o IBQP (Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade).

De acordo com o estudo, a percepção citada acima perfaz 70,2% dos 18,8 milhões de empreendedores iniciais do País, que são aqueles à frente de negócios com menos de 42 meses de existência.

Para se ter uma ideia, no ano passado, quando o Brasil sentia os reflexos da crise econômica, 57,3% dos empreendedores iniciais afirmaram perceber para os próximos seis meses boas oportunidades para se começar um novo negócio nas regiões onde vivem.

PUBLICIDADE

Ambiente propício ao empreendedorismo
A percepção de oportunidades e habilidades dos entrevistados vai além, já que 68,3% afirmaram que no País aqueles que alcançaram sucesso ao iniciar um novo negócio têm status e respeito diante da sociedade.

Essas condições contribuem para a criação de um ambiente propício ao empreendedorismo. A pesquisa também pergunta aos entrevistados se o medo do fracasso os impediria de criar uma empresa. No País, mais uma vez nota-se uma postura considerada positiva no que tange à inserção em atividades empreendedoras, pois apenas 32% teriam no medo um fator impeditivo para o início de um novo negócio.

O percentual semelhante é verificado quando se restringe o foco da análise apenas àqueles que percebem boas oportunidades de negócios. Neste contexto, 30% disseram que o medo do fracasso é um bloqueio para iniciar um empreendimento, percentual abaixo da média de todos os 54 países participantes da 10ª edição da GEM.

Inovação e mercado internacional
Apesar dos resultados positivos, o estudo apontou alguns dados preocupantes. O primeiro é em relação à inovação, pois apenas 5,4% dos empreendedores iniciais acreditam que seus produtos ou serviços são considerados novos por todos. Já 11,1% consideram oferecer alguma novidade e 83,5% não pensam em disponibilizar algo novo a quem quer comprar.

Ouro fator preocupante diz respeito à expectativa dos empreendedores entrevistados em entrar no mercado internacional. Em 2009, 89,5% deles responderam que não tinham nenhuma previsão de exportar.

Sobre a pesquisa
Criado em 1999, o GEM é o maior estudo independente do mundo sobre a atividade empreendedora, cobrindo 54 países consorciados, o que representa 95% do PIB e dois terços da população mundial.

Para compor a pesquisa no Brasil, em 2009, foram entrevistadas 2 mil pessoas entre 18 e 64 anos, de todas as regiões brasileiras, selecionadas por meio de amostra, e mais de 180 mil pessoas no mundo. A pesquisa conta ainda com opiniões de 36 especialistas brasileiros. Entre os anos de 2000 a 2009, 21,9 mil adultos foram entrevistados no Brasil.