Cargo público x emprego na área de formação acadêmica: como decidir?

Antes de fazer a escolha, consultores alertam que o profissional deve pensar no seu plano de carreira

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Imagine a seguinte situação: você prestou um concurso público e, depois de um tempo, foi chamado para trabalhar. Porém, neste período, terminou a faculdade e está atuando na área em uma empresa privada. E agora, como decidir entre os dois empregos?

De acordo com a consultora de RH (recursos humanos) e diretora-executiva da Clarz Management, Luciana Botelho, antes de fazer uma escolha, o profissional precisa ficar atento aos desafios que ele irá enfrentar ao mudar para o cargo público, sendo o principal deles a adaptação cultural.

“O profissional que optar pelo cargo público tem de estar preparado para o fato de que suas ideias neste novo emprego podem demorar muito para serem aceitas, pois o sistema é mais lento. Por exemplo: para aprovar um orçamento, será necessário que o documento passe por diversos departamentos. Se fosse em uma empresa privada, o trajeto desse documento poderia ser menor e, logo, as chances de um projeto ser colocado em prática seriam mais elevadas”.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, a consultora ressalta que o profissional terá de correr atrás do conhecimento técnico para desempenhar a sua função no cargo público, vaga que pode não estar relacionada com seu conhecimento acadêmico.

E se o profissional não gostar da nova função em um primeiro momento, saiba que isso pode mudar. “Se o profissional desenvolve um bom trabalho, ele pode passar a gostar do que faz porque passa a ser reconhecido”.

O lado bom

Luciana lembra que há alguns benefícios que o concurso público pode oferecer, quando comparado ao emprego em uma empresa privada, como salários mais elevados e estabilidade.

Na opinião do gerente consultivo do Grupo Soma, Paulo Ishimaru, outro fator que pode auxiliar na decisão é a vida pessoal. “Se o profissional tem planos de ter filhos e não fez isso ainda porque considera que o seu salário não é suficiente, o cargo público pode oferecer uma remuneração maior”, exemplifica.

Plano de carreira

Entretanto, tanto Ishimaru quanto Luciana afirmam que o profissional, antes de trocar de emprego ou permanecer no atual, deve fazer uma avaliação do seu plano de carreira.

“O profissional precisa pensar o que ele almeja para a sua carreira daqui há três anos, por exemplo. E, a partir disso, estabelecer as ações que ele terá de executar para alcançar esta meta”, destaca Luciana.

PUBLICIDADE

“Geralmente, para conseguir executar outras funções, um funcionário público precisa prestar outro concurso. Já em uma empresa privada, com um departamento de Recursos Humanos estruturado, ele pode desenvolver um plano de carreira e subir de cargos mais rapidamente”.