a partir de 1º de junho

Canadá muda regras para quem quer estudar e trabalhar por lá

Quem quiser estudar e trabalhar no país terá de se matricular e frequentar cursos de graduação ou pós-graduação

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A partir de 1º de junho, o estrangeiro que buscar tirar visto de estudo com direito a trabalho no Canadá terá de se matricular e frequentar cursos de graduação ou pós-graduação. A nova regra, portanto, invalida insituições de idiomas oferecerem estes tipos de programa de intercâmbio.

Quem já está inscrito em cursos de idiomas e pensa em trabalhar no país terá de fazer o requerimento do visto antes da data limite. “Se deixarem para depois, as novas regras já estarão valendo, e a autorização para trabalhar não vai sair. Para quem já está com o visto aprovado, vale a regra atual”, esclarece o diretor da Infovistos, Alexandre Luis Pedrosa.

O governo canadense ainda divulgará uma relação das universidades que estarão autorizadas a receber as matrículas dos estrangeiros interessados em estudar e trabalhar no país, com a exigência de que aquela que se matricular no curso de graduação ou pós-graduação deverá frequentar as aulas. “Não vai adiantar se matricular apenas para conseguir permissão para trabalhar. Haverá uma fiscalização do cumprimento do programa”, completa Alexandre.

Aprenda a investir na bolsa

Este tipo de visto, chamado de Study Permit, dará direito a 20 horas de trabalho durante os cursos com seis meses ou mais, e em tempo integral durante as férias.

As novas regras beneficiarão também os estudantes estrangeiros no país. Aqueles que concluíram seus cursos de pós-graduação, com emprego, poderão continuar no país trabalhado até que tenham autorização do Work Permit, para poder ficar no país definitivamente.

Todas as alterações oficializadas pelo consulado canadense entram em vigor no dia 1º de junho, mas até lá as autoridades poderão informar normas adicionais ao disposto.