Caixa começa a pagar créditos complementares do FGTS no próximo dia 11

Serão pagas a 6ª parcela para quem receberá entre R$ 5 mil e R$ 8 mil e a 5ª parcela para os que receberão mais de R$ 8 mil

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Mais uma etapa do cronograma de pagamento dos créditos complementares do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), referentes aos Planos Verão e Collor I, será iniciada no próximo dia 11.

Serão pagas a sexta parcela, para quem tem direito a receber entre R$ 5 mil e R$ 8 mil no total, e a quinta parcela, para os que receberão mais de R$ 8 mil ao todo. Vale lembrar que, para os dois casos, serão creditadas sete parcelas no total.

Como funciona o pagamento

Dos R$ 872,7 milhões depositados nas cerca de 650 mil contas do FGTS, só alguns trabalhadores* poderão sacar o dinheiro. Os demais valores permanecem depositados em nome do cidadão.

Aprenda a investir na bolsa

Para quem está habilitado a sacar as parcelas, o dinheiro pode ser retirado no balcão das agências ou depositado numa conta bancária, de acordo com a vontade do trabalhador. O crédito em conta será feito no dia 11 e os bancos têm até 3 dias úteis para efetivar a transação.

Com esta nova fase, restam apenas mais duas etapas no calendário para o fim dos pagamentos, que ocorrerá em janeiro de 2007.

Saiba mais sobre as correções

Os expurgos estão sendo pagos a todos os trabalhadores que possuíam saldo na conta do FGTS no período de janeiro de 1989 e/ou durante o mês de abril de 1990, sendo válido também para aqueles que já tenham efetuado o saque deste dinheiro.

Caso o titular da conta já tenha falecido, os dependentes diretos podem receber o valor dos expurgos. Mas para isso devem ter preenchido o cadastramento do trabalhador falecido nas agências da Caixa.

Se você descobrir que a empresa em que trabalhava na época dos planos não abriu conta na Caixa e nem depositou os valores do FGTS, infelizmente você perde o direito a receber os expurgos. Entretanto, perante a Lei, o trabalhador tem até 30 anos para recuperar qualquer perda no FGTS, o que significa que você ainda terá chances de reaver este dinheiro.

Quem pode sacar?

O fato do trabalhador ter direito ao recebimento do expurgo de FGTS não significa que esses recursos podem ser sacados. O saque só é permitido em algumas condições específicas, como, por exemplo:

  • Demissão sem justa causa;
  • Término de contrato por experiência ou por prazo determinado;
  • Rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior, ou extinção da empresa;
  • Rescisão do contrato por falecimento do empregador individual;
  • Falecimento do empregado;
  • Trabalhador avulso sem vínculo por 90 dias (ex: estivadores);
  • Permanência do empregado por 3 anos ininterruptos fora do regime do FGTS;
  • Quando o empregado ou seu dependente for portador do vírus HIV;
  • Quando o empregado ou seu dependente for acometido de Neoplasia maligna (câncer);
  • Quando o trabalhador ou seu dependente estiver em estágio terminal, em razão de doença grave;
  • Aposentadoria;
  • Idade acima de 70 anos;
  • Utilização na compra da casa própria ou amortização do saldo devedor do financiamento habitacional.

PUBLICIDADE