Cai desigualdade de renda no País, mas cargo ocupado ainda influi sobre o índice

De 1995 a 2005, o coeficiente de disparidade de renda foi de 0,62 para 0,54. Ipea alerta sobre representatividade da ocupação

SÃO PAULO – Apesar de o Brasil estar no oitavo lugar entre países com pior distribuição de renda, conforme dados do Human Development Report de 2005, a situação parece se modificar ao longo dos últimos dez anos. Por outro lado, a diferença de pagamento de salário por cargo ocupado continua influenciando a disparidade de renda.

É isso o que afirma o estudo “Segmentação no mercado de trabalho e desigualdade de rendimentos no Brasil: uma análise empírica”, assinado pelo economista Gabriel Ulyssea, do Instituto de Pesquisa em Economia Aplicada (Ipea).

De 1995 a 2005, o coeficiente Gini* passou de 0,62 para 0,54. Durante esses dez anos, a representatividade do cargo ocupado no nível de disparidade salarial, teve leve alteração, mas acabou permanecendo em 20,6%.

Índices

PUBLICIDADE

Segundo o levantamento, que utilizou como base a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase todos os índices analisados para o levantamento de disparidade de renda caíram.

Veja no quatro abaixo:

AnoPorte do MunicípioPosição ocupaçãoSetorÁrea urbana/ruralRegião
19958,3%20,6%13,4%7,1%6,7%
20056,1%20,6%12,5%4,7%6,2%


Fonte: dados próprios, com base na PNAD/IBGE

Com base nesses dados, Ulyssea afirmou que, além dos rendimentos por cargo, diferenças de pagamento entre trabalhadores de setores distintos também têm forte influência sobre o resultado final.

“Tanto a desigualdade entre trabalhadores de áreas rurais e urbanas quanto de diferentes municípios perderam muito sua importância ao longo dos anos”, avaliou o economista.

Ganhando menos

Informações dadas nesta sexta-feira (16) à InfoMoney por Marcelo Ávila, também do Ipea, mostram que o brasileiro ganha, atualmente, 1% a menos do que em 2002.

Apesar de a renda ter apresentado crescimento desde 2003, enquanto em dezembro de 2002 o rendimento médio real habitualmente recebido era de R$ 1.087,89, no mesmo mês do ano passado esse total era de R$ 1.077,55.

*O Coeficiente Gini consiste em um número entre zero e um, onde zero corresponde à completa igualdade de renda e um à completa desigualdade.