Busca por temporários aumentou 17% no segundo trimestre, revela pesquisa

Para especialista, o trabalho temporário é uma das melhores soluções disponíveis hoje no mercado

SÃO PAULO – As empresas aumentaram em 17% a procura por trabalhadores temporários no segundo trimestre deste ano, na comparação com os meses de janeiro a março. O levantamento foi realizado junto a clientes da consultoria de Recursos Humanos Manpower.

Para o diretor-geral da empresa, Augusto Calado Costa, esse percentual tende a crescer, uma vez que os especialistas aguardam crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) já no próximo trimestre, revertendo a retração de 0,8% registrada nos três primeiros meses do ano. O indicador está diretamente relacionado ao nível de investimento nas empresas.

Para Costa, o trabalho temporário é uma das melhores soluções disponíveis no mercado, pois permite que ele se ajuste gradativamente à recuperação da demanda.

Setor que mais contratou

PUBLICIDADE

A pesquisa mostra que o setor que apresentou maior crescimento nas contratações, no geral, foi o comércio, com alta de 18% nas vagas preenchidas no segundo trimestre do ano, na comparação com o primeiro. Desses postos de trabalho, 70% são direcionados a temporários. Os 30% restantes são de contratos efetivos.

Raio-X do setor

Outra pesquisa, realizada pelo Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Terceirização de Serviços e Trabalho Temporário), revelou que o Brasil conta hoje com 1,5 mil empresas de trabalho temporário registradas no Ministério do Trabalho – a maioria está em São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro.

Segundo o estudo, o setor de trabalho temporário cresceu 3,32% em relação a 2008, ao passo que o de serviços terceirizáveis teve acréscimo de 2,67% na comparação com o ano passado. Esses percentuais poderiam ter sido mais significativos, não fosse a carga tributária, a concorrência desleal e a inflexibilidade da legislação trabalhista, de acordo com o presidente da Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário), Vander Morales.

“Se houvesse equilíbrio fiscal, a partir da desoneração da folha de pagamento e da redução de encargos fiscais, poderíamos empregar muito mais trabalhadores”, disse.

Faturamento

O trabalho temporário é tão importante para o País que origina um faturamento de R$ 17 bilhões ao ano. A região Sudeste lidera o ranking, seguida pelo Sul. Anualmente, são contratadas cerca de 10 milhões de pessoas, que juntas recebem cerca de R$ 9 bilhões em salários ao ano. Por fim, a pesquisa revelou que a média de efetivação de um trabalhador temporário é de 36,3%.