Brasileiros protestam no Japão contra demissão de trabalhadores estrangeiros

Cerca de 50 brasileiros protestaram em frente a uma fábrica de autopeças, por causa da demissão de temporários

SÃO PAULO – Cerca de 50 brasileiros que vivem no Japão fizeram um protesto nesta segunda-feira (2), em frente à fábrica de autopeças Asmo, devido à demissão de trabalhadores temporários estrangeiros. Segundo informações da BBC Brasil divulgadas pela Agência Brasil, a manifestação ocorreu na cidade de Kosai, província de Shizuoka.

Entre os manifestantes, oito deles tentaram entrar a força na fábrica para voltar ao trabalho, mas foram impedidos pelos seguranças. Eles estavam uniformizados.

Redução na força de trabalho

Até recentemente, a Asmo possuía cerca de mil trabalhadores brasileiros nas linhas de montagem. Agora, o Sindicato dos Trabalhadores Estrangeiros do Japão calcula que, até o início do próximo mês, esse número estará reduzido a menos de 200.

PUBLICIDADE

Todos os demitidos possuíam contratos de trabalho temporários, que eram renovados a cada dois meses. Segundo o presidente do sindicato, Francisco Freitas, a empresa vinha agindo irregularmente. Isso porque, pelas leis trabalhistas japonesas, após três anos em um mesmo emprego, o trabalhador tem o direito de ser contrato como funcionário efetivo.

O sindicato diz que irá pedir uma nova reunião com a administração da empresa e, caso nenhum acordo seja feito, irá procurar a justiça japonesa. No último domingo (1), cerca de 1.500 brasileiros protestaram em Nagóia, capital da província de Aichi, para exigir direitos trabalhistas, pedir emprego e cobrar atenção do governo japonês para as questões sociais.