Brasileiros com mais renda são os que mais temem os efeitos da crise

Segundo pesquisa CNI/Ibope, 29% das pessoas com mais de 10 salários mínimos de renda estão com muito medo da crise

SÃO PAULO – Os brasileiros com os maiores níveis de escolaridade e renda são os que mais temem os efeitos da crise, segundo indicou a pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta segunda-feira (15).

De acordo com o levantamento, 29% das pessoas com renda acima de 10 salários mínimos estão com muito medo de serem afetadas pela crise. O sentimento também é compartilhado por 28% daqueles que possuem Ensino Superior.

Entre os entrevistados com renda familiar entre 5 e 10 salários mínimos, 22% estão com muito medo, e entre as pessoas com renda entre 1 a 2 salários mínimos, esse índice é de 26%.

Crise já faz efeito em alguns

PUBLICIDADE

Porém, quando questionados se já estão sendo afetados pela crise, as maiores porcentagens são verificadas entre aqueles que ganham até 1 salário mínimo e de 1 a 2 salários, com 5% das pessoas de cada um desses grupos afirmando isso.

Já entre aqueles que ganham entre cinco e dez salários mínimos, o percentual é de 1%, e entre os com renda superior a 10 salários mínimos, o índice é de 2%.

No geral, os brasileiros ainda não sentem a crise, sendo que a maioria, ou 37%, afirmou que não vê os efeitos em nenhuma atividade nem os sente pessoalmente, contra 29% que já percebem no dia-a-dia e 24% que sentem em algumas atividades, mas não em suas vidas.

Avaliação da crise

Avaliando essa crise financeira, 84% das pessoas acreditam que ela é muito grave, ou grave, contra 9% que a consideram pouco ou nada grave. Mas apesar disso, 43% afirmam que o Brasil está mais preparado do que nas anteriores.

Além disso, 51% dos brasileiros acreditam que ela será superada até o fim de 2009, sendo que 28% crêem que o fim será no segundo semestre, e 23%, nos primeiros seis meses do próximo ano.

Considerando as ações do governo contra a crise, 62% acreditam que as medidas são corretas, contra 15% que crêem no contrário.