Brasileiro demitido acha difícil conseguir emprego com salário equivalente

Pesquisa internacional mostra que 93,2% dos entrevistados no País pensam assim; na Noruega, parcela é de apenas 25%

SÃO PAULO – O funcionário brasileiro demitido é um dos mais céticos do mundo quanto à chance de encontrar outro emprego com remuneração similar à ocupação anterior, segundo revela uma pesquisa internacional realizada pela empresa RightSaadFellipelli.

De acordo com a sondagem, 93,2% dos brasileiros acham difícil ou muito difícil serem contratados em serviços com salários equivalentes. Em contrapartida, só 3,9% acham fácil e 0,8%, muito fácil conseguirem em emprego de mesmo nível.

O resultado do Brasil sugere pessimismo muito maior que o verificado na Noruega, por exemplo, onde 25% dos funcionários demitidos acham ser difícil ou muito difícil encontrar outra vaga com remuneração similar. O mesmo vale para outros países como Espanha, Japão e Irlanda. Por outro lado, as respostas brasileiras são mais otimistas que as apuradas na Alemanha, Suíça, Itália e Holanda.

Cultura de remuneração

PUBLICIDADE

A diretora da RightSaadFellipelli, Adriana Fellipelli, acredita que o resultado pessimista observado no Brasil esteja relacionado com a cultura de remuneração do País, onde as empresas mantêm uma relação de confiança com os funcionários, aumentando seus salários conforme o tempo que passam na companhia. Dessa maneira, ser demitido e começar nova fase profissional significa entrar em outro emprego ganhando menos.

Além disso, Adriana afirma também ser muito adotada no Brasil a política de remuneração conforme o desempenho, o que requer certo tempo para que o funcionário ganhe credibilidade. Já na Noruega, os salários dependem apenas do cargo, independente dos resultados alcançados pelo profissional.