Carreira

Brasil tem uma das maiores taxas de empreendedorismo feminino, diz estudo

Estudo recente da Ernst & Young Terco mostra que apenas 11,1% dos administradores de empresas são mulheres

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Brasil tem uma das maiores taxas de empreendedorismo feminino no comparativo com os 54 países que integram o GEM (Global Entrepreneurship Monitor). Os dados foram divulgados pela Ernst & Young Terco, nesta quinta-feira (29) data em que lançou no Brasil o programa Winning Women, que apoia o empreendedorismo feminino.

Os dados são de um estudo recente “High achievers: recognizing the power of women to spur business and economic growth”, que aborda o impacto da presença feminina em todos os segmentos dos negócios na sociedade. Segundo o estudo, um fator que contribui para o empreendedorismo feminino no Brasil é a flexibilidade de jornada e a possiblidade de ficar mais tempo com os filhos.

O estudo registra também que o número de CEOs do sexo feminino nas empresas, segundo a Fortune 500, dobrou na última década, mas em 2012, será ainda 3,6% do total. O estudo mostra ainda que apenas 11,1% dos administradores de empresas são mulheres nas economias industrializadas. Nos mercados de rápido crescimento, o número cai para 7,2%.

Aprenda a investir na bolsa

Programa Winning Women
O programa, visa criar uma rede influente de mulheres notáveis? e partilhar suas histórias no Brasil e no exterior. Além disso, ainda está nos planos conectar as empreendedoras com outras organizações e indivíduos relevantes que possam apoiar suas empresas, organizações ou comunidades na jornada para o crescimento. O programa irá reconhecer as primeiras mulheres empreendedoras em agosto de 2013.

Para participar do programa é necessário que a empresa seja de origem brasileira, de preferência em áreas fora de São Paulo e Rio de Janeiro, de médio porte e que sejam de setores nos quais as mulheres tenham mais dificuldades para estabelecer novos negócios e expandir.

As 15 empreendedoras selecionadas pelo programa serão avaliadas por um conselho formado por líderes empresariais, incluindo participantes, jurados das edições anteriores do Programa Empreendedor do Ano e sócias da Ernst & Young Terco.

Nos Estados Unidos, o Winning Women já está na 5ª edição. Outros países também promovem: Indonésia (3ª edição) e Reino Unido e África do Sul (primeira vez).