Brasil registra redução de 27 mil profissionais de Pesquisa e Desenvolvimento em 2008

Queda é explicada por mudança no padrão de atividade, pois foi registrado recuo na atividade ocasional de P&D

SÃO PAULO – O número de pessoas especializadas em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) nas empresas brasileiras apresentou queda entre 2005 e 2008.

Um estudo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta uma redução de 27 mil profissionais. Em 2005, o número de profissionais que trabalhavam com inovação era de 100,3 mil. Já em 2008, eles somavam 73,3 mil. 

A gerente da pesquisa, Fernanda Vilhena, afirmou que a queda pode ser explicada pela mudança no padrão de atividades das empresas, pois foi registrado aumento na atividade contínua de P&D e recuo na atividade ocasional.

PUBLICIDADE

“Aquelas empresas que já faziam [inovação] e tinham uma equipe fixa, continuamente fazendo, se mantiveram. Já as equipes cujos integrantes se dedicavam eventualmente a um projeto determinado acabaram sendo alocadas em outras atividades no período investigado”, afirma a gerente da pesquisa, segundo à Agência Brasil.

Em 2008, 76,3% dos profissionais da indústria estavam ocupados nas atividades de inovação. Em serviços selecionados (edição, telecomunicações e informática), eles eram 70,7% e, nas empresas de P&D, 94,3%. Na pesquisa anterior, na indústria, 72,8% dos profissionais estavam ocupados na atividade de inovação e, nas empresas de P&D, 87,4%. 

Qualificação
Os dados apontam ainda que 60% dos profissionais tinham nível de escolaridade superior em 2008, sendo que 47,8% eram graduados e 14% tinham pós-graduação.

A falta de qualificação foi um dos motivos apontados pelas empresas como entraves à inovação. Para se ter uma ideia, na indústria, o problema foi indicado por 57,8% das empresas. Já em serviços selecionados, o número chega a 70,4%.