Brasil registra geração de mais de 152 mil postos de trabalho em janeiro

Saldo é o segundo melhor para o período desde 2003, aponta Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Brasil registrou a abertura de 152.091 empregos formais em janeiro deste ano. O resultado é o segundo melhor de acordo com a série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os dados foram apresentados pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) nesta quinta-feira (24).

Na comparação com os meses de janeiro de outros anos, apenas 2010 teve resultado melhor. Apesar dos resultados positivos, quase 1,5 milhão de pessoas (1.498.281) foram desligadas de seus empregos. Como o volume de admissões chegou a 1.650.372, o saldo de empregos formais superou a marca de 150 mil.

No acumulado dos últimos 12 meses, verificou-se a criação de 2.107.619 postos de trabalho, o que equivale a aumento de 6,23% na comparação com o verificado na última pesquisa.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo o Ministério do Trabalho, a totalidade de empregos formais, tomando como referência os dados da Rais (celetistas e servidores públicos federais, estaduais e municipais), no período de 2003 a dezembro de 2010, o País atingiu a marca de 15.079.054 postos.

Crescimento setorial
Na análise setorial, seis dos oito setores de atividades econômicas analisados registraram saldo positivo de emprego em janeiro deste ano. As exceções ficaram com os setores de administração pública (redução de 0,12% ou menos 1.402 postos) e comércio (redução de 0,23% ou menos 18.130 postos).

O setor de serviços aumentou em 73.321 o número de postos de trabalho (+0,51%), seguido pela indústria de transformação (+0,67), com mais 53.207 postos, e construção civil, com 33.358 postos (+1,31%).

Análise regional
Ainda segundo os dados do Caged, na análise por estado, destacam-se São Paulo (+54.346 vagas), Rio Grande do Sul (+17.232 postos), Santa Catarina (+16.889 postos) e Paraná (+14.954 postos).

Os estados que apresentaram reduções do volume de postos de trabalho foram Pernambuco (-5.957 vagas), Rio Grande do Norte (-2.243 vagas), Paraíba (-1.112 postos) e Maranhão (-1.060 postos). A razões apontadas são fatores sazonais ligados ao complexo agroindustrial.

Considerando as regiões, apenas o Nordeste não registrou crescimento no emprego em janeiro deste ano (teve decréscimo de 611 postos). O Sudeste lidera, com acréscimo de 71.095 postos, seguido do Sul, com 49.075 postos, Centro-Oeste, com 28.522 vagas (resultado recorde para o período) e Norte, com 3.890 postos.

PUBLICIDADE