Brasil gera mais de 1,4 milhão de empregos e registra melhor semestre da história

Somente em junho, foram criados 212.952 empregos formais, equivalente ao crescimento de 0,62%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No Brasil, foram geradas 1.473.320 vagas de trabalho no primeiro semestre do ano, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta quinta-feira (15). O resultado é recorde para o período.

Somente no mês de junho, foram criados 212.952 empregos formais, equivalente ao crescimento de 0,62% na comparação com o mês anterior.

Em 12 meses, o Caged aponta criação de 2.168.924 postos de trabalho, incremento de 6,71% frente aos 12 meses anteriores.

Aprenda a investir na bolsa

Crescimento setorial
Na análise semestral, todos os oito setores de atividades econômicas analisados apresentaram crescimento na geração de empregos formais. Em números absolutos, o destaque ficou com Serviços, com 490.028 vagas de trabalho. Porém, a maior variação percentual ficou com Agricultura, que registrou alta de 11,98% no número de vagas (+175.050 postos).

Outro destaque do período foi a Indústria de Transformação, que apresentou acréscimo de 394.148 postos de trabalho (+5,31%). O Comércio foi o quarto setor que mais gerou emprego no semestre, ao responder por 144.135 postos de trabalho (+1,95%).

Os demais setores também apresentaram aumentos no número de vagas de trabalho nos primeiros seis meses do ano: em Indústria Extrativa Mineral, houve alta de 5,14% no número de empregados (+8.801 vagas), em Serviços Industriais de Utilidade Pública, de 2,80% (+9.862 vagas), enquanto Administração Pública avançou 2,87% (21.277 postos) e Construção civil, 10,16%, com 230.019 vagas.

Na análise mensal também foi registrado crescimento em todos os setores analisados na geração de emprego frente à maio. Em números absolutos, novamente o destaque foi Serviços, com 57.450 postos de trabalho. A maior variação percentual ficou com Agricultura, que registrou alta de 3,50% no número de empregos (+55.367 postos).

Análise regional
Ainda segundo os dados semestrais do Caged, na análise regional, houve recorde de desempenho em 17 das 27 unidades federativas, das quais sete são da região Nordeste, quatro do Norte e duas das seguintes regiões: Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

Quanto ao aumento do número de vagas criadas, destacam-se Minas Gerais (+232.572 vagas ou 6,64%), Rio Grande do Sul (+104.654 postos ou 4,77%), Rio de Janeiro (+88.591 ou 2,81%), Goiás (+70.155 postos ou 7,63%), Santa Catariana (+66.296 postos ou 4,08% e Bahia (+61.334 vagas ou 4,28%).

PUBLICIDADE

Considerando as regiões, todas apresentaram elevação no emprego formal, com saldos recordes nas Regiões Nordeste (+113.194 postos ou +2,21%), Sul (+271.938 postos ou +4,52%) e Norte (+58.168 vagas ou +4,17%), enquanto no Sudeste a alta foi de 4,96% (+894.012) e o Centro-Oeste registrou crescimento de 5,61% (+136.008 vagas).

No mês de junho, houve expansão em todas as grandes regiões, com os segundos melhores saldos para as regiões Nordeste (+37.365 postos ou +0,72%), Sul (+24.410 postos ou +0,39%) e Norte (+10.060 vagas ou 0,70%). Já o Centro-Oeste apresentou crescimento de 0,68% (17.294), terceiro melhor saldo. Em números absolutos, a liderança ficou para a região Sudeste (+123.823 postos ou + 0,66%).