Brasil detém a segunda maior carga tributária sobre salários no mundo, diz IBPT

Carga tributária no país chega a 42,15% sobre os salários, ficando atrás apenas da Dinamarca, com carga de 43,1%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) revelou que o Brasil é o país que detém a segunda maior carga tributária sobre salários do mundo, ficando atrás apenas da Dinamarca e muito além de alguns países vizinhos.

Incluindo a parte das empresas e funcionários, a carga tributária brasileira chega a 42,15% sobre os salários. Na Dinamarca, a primeira no ranking, o percentual é de 43,1%.

Em países vizinhos, como Uruguai (28,4%) e Argentina (25,7%), a carga verificada é significativamente menor. Entre as menores cargas estão a da Coréia do Sul (8,7%), México (9,1%) e Japão (16,2%).

Mordida fiscal para o trabalhador chega a quase 20%

PUBLICIDADE

Levando-se em consideração apenas a parte que incide sobre o salário dos trabalhadores, a carga tributária verificada no Brasil é de 19,89%, percentual este que registrou crescimento em relação ao ano anterior, quando a mordida fiscal era de 18,76%. No que se refere à parcela das empresas, houve estabilidade em 2003 na comparação com 2002.

São vários os fatores responsáveis pelo aumento da carga tributária sobre salários no país, dentre eles a conjuntura econômica desfavorável, com juros elevados, aumento do desemprego, perda salarial, aumento de taxas e impostos etc.

Convém destacar que os principais gastos de uma empresa com salários se referem às contribuições à Previdência Social, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e ao Sistema S (Senac, Sebrae e Senae). Entre os trabalhadores, os maiores gastos se referem ao imposto de renda retido de seu salário e contribuições à Previdência.