Brasil cria 246 mil vagas em novembro, maior resultado do Caged para o período

Segundo os dados, a expansão é de 0,74%; até novembro, mais de 1,41 milhão de postos foram criados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No Brasil, foram geradas 246.695 vagas de trabalho em novembro, uma expansão de 0,74% frente ao número total de trabalhadores assalariados registrados em outubro, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta quarta-feira (16) pelo Ministério do Trabalho. O resultado é o maior de toda a série para o período. 

Entre janeiro e novembro deste ano, 1,41 milhão de postos foram criados – um aumento de 4,41% frente ao mesmo período do ano passado. Nos últimos 12 meses, a variação também foi positiva, de 2,31%, com acréscimo de 755.356 vagas. 

Crescimento setorial
Na análise mensal, dentre os oito setores de atividades econômicas, apenas Agricultura e Silvicultura apresentou variação negativa no décimo primeiro mês do ano, de 0,99%, o que resultou em um saldo negativo de 16.628 postos. 

Aprenda a investir na bolsa

A maior variação e número de postos criados em novembro ficou com o Comércio, com alta de 1,61%, que representa mais 116.571 vagas. A Construção Civil apresentou a segunda maior variação no mês, de 0,83%  (+17.791 postos). Porém, o setor de Serviços registrou a segunda maior criação de postos em novembro, de 87.252, um aumento de 0,66% frente ao mês anterior. 

Outro setor que respondeu de maneira positiva à geração de emprego em novembro foi a Indústria de Transformação, responsável pela criação de 39.594 vagas (+0,53%), enquanto Indústria Extrativista gerou 613 postos (+0,35%) e a Administração Pública criou 838 vagas (+0,10%). 

Serviços Industriais de Utilidade Pública geraram 664 vagas no mês, uma expansão de 0,18%, frente a outubro. 

Análise regional
Ainda segundo os dados do Caged, na análise regional, houve saldo positivo do emprego em 25 das 27 unidades federativas. Apenas Mato Grosso e Goiás apresentaram variação negativa no mês, de 0,80% e 0,22%, na ordem. Nesses estados, o saldo de empregos ficou negativo em 4.059 vagas e 2.045 vagas, respectivamente. 

No restante do País, houve aumento do número de vagas criadas, com destaques para São Paulo (+69.667 ou +0,64% de expansão), Rio Grande do Sul (+25.723 vagas ou 1,18%) e Rio de Janeiro (+24.613 ou 0,76%). Com esses números, os três estados apresentaram recorde para o período, assim como em outras 14 unidades.

Considerando as regiões, apenas o Centro-Oeste registrou variação negativa, de 0,04% e saldo negativo de 991 vagas. As demais regiões obtiveram bom desempenho no último mês: Sudeste (+124.362 ou 0,68%), Sul (59.601 postos ou 0,99%), Nordeste (+55.134 vagas ou 1,11%) e Norte (+8.589 ou 0,63%). 

PUBLICIDADE

Segundo o Caged, quando analisadas as nove grandes regiões metropolitanas, também houve aumentos recordes em novembro, com alta de 0,91% e um saldo de 125.355 postos. Em números absolutos, o destaque ficou com São Paulo, onde foram geradas 43.388 vagas (+0,75%), Rio de Janeiro, com a criação de 20.380 postos (+0,83%), Salvador, onde foram gerados 10.619 postos (+1,45%) e Belo Horizonte (+10.591 postos ou +0,78%).