Brasil: comparação mensal mostra aumento em 30% de vagas para executivos

Funcionários mais qualificados se dirigem ao exterior para trabalhar. Para reter talentos, empresas aumentam salários

SÃO PAULO – O profissional brasileiro mais qualificado está em alta no mercado, mas está se dirigindo a outros países para trabalhar. A tendência está impulsionando as empresas a reterem seus funcionários e atraírem outros, com promoções de cargos e salários mais altos.

Segundo a consultoria Right Management, o número de vagas para estes profissionais aumentou 30% entre junho e julho deste ano, devido ao cenário de crescimento econômico do Brasil.

Formação acadêmica

A oferta de vagas é seletiva. A formação acadêmica é relevante, mas as empresas procuram profissionais munidos de habilidades de relacionamento e capacidade de liderar grupos. Além disso, é preciso domínio em idiomas e comprometimento com a companhia em que irá trabalhar.

PUBLICIDADE

De acordo com a consultora de Recursos Humanos, Andréa de Paula Santos, os executivos devem aproveitar esta “onda de aquecimento”. “As empresas começam a prestar mais atenção na forma de reter seus talentos e há uma briga muito acirrada por eles, até porque não existe esse perfil aos montes no mercado”.

Trabalho no exterior

Empresas de todo o mundo procuram por empresários brasileiros. Em comparação com o ano passado, o número de companhias européias que tinham interesse pelos trabalhadores brasileiros aumentou 30%.

O executivo que quer trabalhar em uma destas empresas deve ter a seguinte formação e perfil: entre 25 e 37 anos, cidadania européia ou visto para trabalho, fluência em inglês e outros idiomas, alta capacidade de planejamento e MBA (Master Business of Administration) em instituição reconhecida.
(*) Com informações do boletim Administrador Profissional, do Conselho Regional de Administração de SP.