Brasil: 55% dos profissionais utilizam seus notebooks no trabalho, diz pesquisa

Brasileiros investem seu dinheiro em aparelhos de tecnologia muitas vezes mais avançados do que os utilizados pelas empresas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Celulares, notebooks, smartphones e outros dispositivos são utilizados por 92% dos profissionais brasileiros nos locais de trabalho, segundo um levantamento realizado pela Unisys em parceria com o IDC (International Data Corporation).

Os entrevistados afirmaram que investem seu dinheiro em aparelhos de tecnologia e em aplicações na web, muitas vezes mais avançados do que os utilizados pelas empresas em que trabalham. Essa diferença faz com que 55% utilizam o próprio notebook no trabalho.

Empresas x profissionais
Essa porcentagem não é compatível com os dados indicados pelas empresas, já que as organizações apontaram que apenas 16% de seus profissionais utilizam este tipo de computador durante a jornada de trabalho.

Aprenda a investir na bolsa

No caso do setor de TI (Tecnologia da Informação), os líderes afirmaram que 10%, em média, de sua equipe utiliza blackberrys e smartphones, enquanto 30% dos profissionais disseram que usam estes aparelhos.

“Esta pesquisa mostra-se importante porque pode ajudar as organizações a definirem melhor como lidar com o uso dos dispositivos de consumo e das novas aplicações web por seus funcionários”, acredita o diretor de negócios da área de Outsourcing e Serviços de Infraestrutura da Unisys Brasil e América Latina, Paulo Roberto Carvalho.

Ele acrescenta ainda que o número de pessoas que usam estas ferramentas está aumentando e as empresas devem integrá-las de maneira que possam capitalizar estas inovações trazidas por seus profissionais.

Sobre o estudo
No Brasil, a pesquisa foi realizada com 301 profissionais, usuários de aparelhos existentes no mercado (celulares, smartphones, palms, laptops e etc.) e redes sociais (blogs, Twitter, Facebook e etc.), das seguintes cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Salvador e Fortaleza. No total, participaram 2.820 pessoas de 10 países.