Lembre-se: no final da faculdade, falta ainda pagar pelo diploma!

Para quem pensa que mensalidade inclui diploma, está enganado. Planeje-se para a compra da certificação

Quando a formatura chega, é bastante natural o universitário pensar que está livre do pagamento de taxas e mensalidades às instituições de ensino. Afinal, os gastos com condução, alimentação e, para quem mora em repúblicas, estadia perto da universidade, podem até acabar. No entanto, existem novas despesas a serem consideradas.

Para quem aderiu à festa de formatura previamente, pagando-a desde o segundo ou terceiro ano, vale o alerta: falta pagar o diploma, uma conta a mais em seu orçamento para o final do curso! Muitos estudantes acreditam que este valor está inserido na mensalidade, o que é um erro. O custo do diploma ocorre separadamente.

Compra do diploma

Em certas universidades do País, o diploma, documento que comprova que o universitário se formou em alguma instituição e em determinado curso, pode chegar a custar o equivalente a R$ 300. Pense que esta quantia chega a representar a metade de algumas mensalidades.

PUBLICIDADE

Para piorar a situação, para quem trabalha como estagiário, onde os salários são relativamente baixos, esta quantia pode representar até 70% dos rendimentos, o que complica para quem precisa arcar com despesas em casa ou simplesmente com outros planos, como a parcela de um carro, por exemplo.

Planeje-se

Para que você se forme e fique com o tão sonhado “canudo”, é preciso se planejar e guardar dinheiro.

O planejamento é essencial para que você não comprometa nenhum dos sonhos. Quando fizer seu orçamento para o mês de dezembro ou janeiro, já conte com esta nova despesa. Para quem se forma em julho, as férias de inverno também podem ser planejadas de acordo com a nova despesa. Tente cortar gastos para que o diploma esteja em suas mãos logo depois da formatura.

Valor correto

O que o estudante deve levar em consideração é que a cobrança de valores acima de R$ 70 para entrega do diploma é ilegal. Segundo a técnica do Procon, Márcia Christina Oliveira, a Lei Estadual número 12.248/06, estipula que a cobrança seja de, no máximo, cinco Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps), o que resulta em R$ 69,65.

Caso seja cobrado um valor superior a esse, os alunos devem procurar o órgão para reaver seus direitos. Pense que vale mais esperar e reclamar por seus direitos do que gastar quase metade de seus rendimentos com o diploma tão sonhado, mas que está saindo caro demais.

De acordo com a técnica, o preço pode ser maior em casos específicos, como quando há utilização de material diversificado, como pele de carneiro e papiro e inscrições com letras grandes e estilizadas, o que é opcional para quem tem à disposição uma quantia maior. Boa formatura!