Bons profissionais encontram oportunidades em qualquer situação econômica

Em épocas de crise, muitas empresas optam por dispensar funcionários medianos e contratar os bons de verdade

SÃO PAULO – “Pessoas boas sempre encontram boas oportunidades, com crise ou sem”, garante a headhunter e sócia da CT Partners, empresa de busca de executivos, Magui Lins de Castro.

Em meio à atual crise mundial da economia, há quem recomende que ninguém mude de emprego, mesmo que o profissional esteja insatisfeito. Supostamente, a situação está difícil e aqueles que têm um emprego devem agarrá-lo e apenas agradecer. Outros acabaram sendo demitidos, justamente por conta da turbulência econômica, e estão pensando que não conseguirão outra oportunidade.

Nada disso é verdade. “Se a pessoa que está à procura de um novo emprego possui um bom histórico profissional, desenvolveu um trabalho excelente nos empregos anteriores, cuidou de sua rede de relacionamentos, certamente encontrará uma oportunidade. Talvez não demore nem um mês”, diz a especialista.

PUBLICIDADE

O motivo é que está muito difícil achar gente boa no mercado. “Em épocas de crise, muitas empresas optam por dispensar os funcionários medianos e contratar outro verdadeiramente bom no que faz. Mas poucos são bons. A maioria dos profissionais que vejo por aí não são tão bons assim”.

O diferencial

O que faz a diferença no mercado, segundo Magui, é o componente comportamental, já que a técnica quase todos têm. “Se o profissional agrega à equipe, é um líder, uma referência para o grupo, sempre se dispõe a ajudar seus colegas quando estes precisam, faz além do que é pedido, superando as expectativas, por meio do esforço e da dedicação, e não é acomodado, certamente encontrará boas oportunidades”.

Isso porque, no mercado, as pessoas sempre conhecem os bons profissionais. “Existe o grupinho de vendas, o grupinho de marketing, o financeiro… A verdade é que, em todos esses grupinhos, há pessoas que se destacam, cujo trabalho acaba aparecendo para os outros. Funciona assim: o contratante pergunta para um conhecido da área se este sabe de alguém bom e o profissional competente é logo indicado”.

Mas como saber se você é bom? O profissional bom não tem preguiça. Faz o melhor e busca a excelência sempre. Ele não desenvolve seu trabalho apenas para atingir as metas, ou porque precisa ser feito. Faz além do esperado, e busca qualidade. “Se, em uma empresa, todo mundo parece igual, sempre tem alguém que se destaca. Ser um profissional empregável em qualquer época passa por atitude”.