Bolsa de estudos: veja como ter acesso ao benefício junto à sua universidade

Muitas pessoas desistem da universidade por estarem sem dinheiro, sem sequer tentar obter uma bolsa junto à instituição

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Cursar uma faculdade requer um investimento relativamente alto. Quem não tem condições de arcar com o custo das mensalidades acaba adiando o seu sonho e até mesmo desistindo da idéia de continuar a estudar. Entretanto, o importante é que se saiba que as grandes universidades oferecem bolsas de estudos exatamente para estas pessoas.

É claro que existe uma troca, caso você esteja interessado em conseguir uma bolsa de estudos. O aluno deve, no mínimo, manter boas notas e ser muito disciplinado. Além disso, tem que se enquadrar às condições básicas para a concessão do benefício, como estar matriculado na instituição, preencher os requisitos básicos de carência financeira, estar em dia com as mensalidades, no caso de ser bolsista parcial, entre outros.

Carência financeira

Na Universidade Presbiteriana Mackenzie, por exemplo, o aluno pode conseguir uma bolsa de estudo em casos de desemprego, doença grave, falência/concordata, dívidas gerais (comprovadas) e baixa renda da família. Dependendo do caso, é possível conceder tanto uma bolsa integral como um bom desconto na mensalidade.

Aprenda a investir na bolsa

E é bom manter boas notas, pois a universidade desconta 10% do percentual da bolsa por cada disciplina reprovada, limitada a três dependências. O bolsista também deve andar na linha para não sofrer sanções por conta de falta disciplinar grave. Nos dois casos, a bolsa é suspensa pela universidade.

Outra instituição que oferece bolsa de estudos para seus alunos é a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. O programa de bolsa de estudos da PUC-SP beneficia jovens carentes, cuja renda familiar seja realmente baixa, inferior a três salários mínimos vigentes, ou R$ 900 ao mês. Além disto, é levado em consideração o baixo nível de escolaridade dos pais do aluno, os gastos com remédios devido a doenças crônicas, o local de moradia e a distância entre sua residência e a universidade.

Para os alunos que apresentarem uma carência financeira mais branda, a PUC oferece bolsas parciais ou bolsas restituíveis. O bolsista basicamente tem parte da sua mensalidade financiada, ou até mesmo o valor total, sendo que o pagamento das mensalidades é feito posteriormente pelo aluno, como após o término do curso, por exemplo.

Já os interessados em Administração e Economia podem buscar apoio no Fundo de Bolsas da FGV-EAESP (www.fgv.br) e no Projeto Estudar (www.estudar.org.br), que fornece bolsas dirigidas aos cursos de graduação em Economia e Administração, cursos de MBA no exterior e intercâmbio nestes segmentos.

Outras modalidades de bolsas e descontos

Como falamos no início, existe sempre uma troca para que você consiga a sua bolsa de estudos. Muitas vezes, a atividade pode ser inclusive prazerosa. Este é o caso das bolsas oferecidas para atletas. Na Universidade Anhembi Morumbi, por exemplo, o aluno atleta pode receber até 70% de desconto no valor da mensalidade. Se participar do coral da universidade, o desconto é de 10%.

O aluno interessado em seguir a carreira acadêmica também pode contar com um bom desconto da Bolsa Licenciatura. Da mesma forma, a universidade oferece bolsa de 10% concedida para cada um dos alunos que pertencerem a um mesmo grupo familiar. Por último, a Bolsa Fatalidade oferece abatimento de 70% aos alunos em caso de morte ou invalidez permanente do responsável financeiro.

Entrevista surpresa

PUBLICIDADE

Vale lembrar que, ao se inscrever para a bolsa de estudo, se estiver alegando carência financeira, você não deverá, em momento algum, omitir qualquer tipo de informação.

Pode parecer simples dizer que a sua família não tem dinheiro e pedir uma bolsa, mas é importante saber que a universidade, a qualquer momento, através de assistentes sociais, poderá fazer visitas domiciliares aos alunos bolsistas, a fim de comprovar as informações e condições de carência financeira. Portanto, o ideal é ser o mais franco possível no seu requerimento.

Bolsa tem prazo de validade

Outra consideração relevante diz respeito ao tempo de duração da bolsa de estudos. O aluno deve periodicamente renovar a sua bolsa para o período letivo seguinte. O objetivo deste procedimento é confirmar todas as informações relativas à sua bolsa, já que eventuais irregularidades detectadas acarretarão na perda do benefício.

Por fim, convém ressaltar que cada universidade mantém um programa de bolsa próprio, de forma que a melhor alternativa é se informar sobre os detalhes do benefício junto à instituição em que estuda ou pretende estudar. Os critérios de concessão da bolsa, assim como os requisitos básicos para se manter o benefício, variam entre as instituições.