Biografia ajuda na contratação: saiba como escrevê-la e o que destacar

Por meio da biografia, é possível conhecer os pontos fortes e os traços da personalidade de um profissional

SÃO PAULO – Escrever a biografia já é uma prática comum entre profissionais que ocupam cargos altos. No meio acadêmico, essa biografia é chamada de memorial. Trata-se de um recurso interessante, que proporciona à empresa contratante o conhecimento da personalidade do candidato. Este, por sua vez, transmite suas características por meio dos acontecimentos que marcaram sua carreira.

Com a biografia, é possível observar o percurso de vida da pessoa, analisando sua personalidade e os pontos fortes de sua vida, que são expostos de forma implícita, garante a professora de MBA da Trevisan Escola de Negócios, Lilian Graziano.

“Ao escrever um memorial ou uma biografia, o profissional registra todos os desafios que já enfrentou, lembra das pessoas que o ajudaram, se dá conta de detalhes que não percebia, e analisa suas dificuldades profissionais. Por isso, esse material pode, inclusive, ser usado para coaching”, explica a professora. “Ele passa tudo a limpo, o que ajuda no auto-conhecimento e tem efeitos terapêuticos.”

Dicas

PUBLICIDADE

Qual é o momento certo para escrever uma biografia? Lilian explica que somente pode escrever quem tiver “uma história para contar”, ou seja, aquele profissional que possui mais experiências, que traçou um longo e interessante percurso profissional.

Na biografia devem transparecer os diferenciais do escritor. Ou seja, ele deve contar, por exemplo, sobre a vez em que a empresa enfrentou uma crise que foi superada graças à sua coragem e à sua visão. Isso conta pontos. O importante, avalia Lilian, é não escrever frases como “eu sou determinado” ou “eu sempre me saio bem das crises”. “As características do profissional devem estar implícitas nas histórias”, sublinha.

Quando ajuda e quando atrapalha

Ela lembra também que, quando a biografia é escrita com a finalidade de contratação, é vital “vender o peixe”. Isso implica valorizar seus pontos altos. “Se o candidato tem habilidade para liderar, deve escrever quais situações demonstram isso”, explica.

A biografia bem elaborada somente irá prejudicar o profissional que demonstrar características que a empresa não está procurando. Por exemplo, caso ele possua característica empreendedora, é provável que uma companhia com uma estrutura hierárquica rígida não o contrate.