Berzoini confirma que reajuste do salário mínimo ainda não foi definido

Em visita à Câmara, ministro informou que reajuste deve sair só em 1º de maio; 28 milhões de brasileiros recebem o mínimo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Durante uma visita, nesta quarta-feira, à Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, o Ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, confirmou que o reajuste do salário mínimo ainda não foi decidido.
Em sua visita, Berzoini foi recebido pelo presidente da Comissão, deputado Tarcísio Zimmermann (PT-SP), que em conversa com o ministro afirmou esperar que o salário mínimo fosse elevado para R$ 280. Considerando que o salário atual é de R$ 240 mensais, isto seria equivalente a um aumento de 16,7%. Segundo Berzoini, o percentual de reajuste do salário mínimo deve ser anunciado somente no próximo dia 1º de maio.
Recuperação de poder aquisitivo

Na opinião do deputado, um reajuste dessa magnitude daria sinais claros de que o governo está preocupado com a recuperação do emprego e a distribuição de renda. No momento, circulam na Câmara pelo menos sete projetos que tratam do reajuste do salário mínimo, e que recomendam reajustes entre 15% e 37,5%, o que implica em salários de, respectivamente, R$ 276 e R$ 330 mensais.
Em todos os casos os reajustes previstos ficam acima da inflação acumulada nos últimos 12 meses, que dependendo do indicador utilizado varia de 4,47% até 6,62%. Caso o salário aumente para R$ 280, como defende o deputado, o reajuste acumulado nos dois últimos anos seria de 40%, visto que há dois anos o mínimo era de R$ 200.
Por sua vez, no período entre março de 2002 e março de 2004, a inflação acumulada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor – Amplo) foi de 23,43%, o que implica em um ganho acima da inflação de 13,4%. Faltando dois anos e meio para o final do seu mandato, o presidente Lula precisa se esforçar para garantir a promessa de campanha de dobrar o salário mínimo em termos reais.
Vinte e oito milhões de pessoas

Segundo informações da Agencia Câmara, o ministro teria lembrado que no existem no Brasil cerca de 28 milhões de pessoas que recebem o salário mínimo.
O número é bastante elevado, especialmente se considerarmos que, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia), o total da população economicamente ativa (PEA) do país era de 21 milhões de pessoas em fevereiro desse ano. Aqui vale lembrar que dentre as pessoas que recebem salário mínimo muitas são aposentadas, e, portanto, não pertencem à PEA. A informação é da Agência Câmara.

Aprenda a investir na bolsa