Batalha interna: profissional deve saber lidar com sentimentos fortes

Raiva, medo, tristeza, dentre outros sentimentos ruins, tiram a concentração e impedem ao profissional pensar com clareza

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em busca de uma vida profissional com êxito, muitos apostam em cursos, especializações, palestras, participações em congressos, lotando a agenda. Porém, deixam de lado o controle emocional, que é fundamental para uma vida equilibrada.

“Os que não conseguem exercer controle sobre a sua vida emocional travam batalhas internas, não se concentram no trabalho e, assim, perdem a capacidade de pensar com clareza”, afirma Rosana Spinelli dos Santos, palestrante da Contmatic Phoenix (www.contmatic.com.br).

De acordo com Rosana, as pessoas devem aprender a lidar com os sentimentos mais fortes do ser humano. “Todas as emoções surgem através dos pensamentos, por isso, quando se pensa em algo triste ou irritante, as emoções imediatamente sentidas são de tristeza e raiva. Se soubermos conduzir os pensamentos, poderemos direcionar nossas emoções”, alerta Rosana.

Emoções negativas

Aprenda a investir na bolsa

Segundo ela explicou, pensamentos negativos colocam em risco a saúde física e o equilíbrio emocional, além de diminuírem a produtividade. Confira abaixo os efeitos de algumas dessas emoções negativas:

  • Tristeza: saudável quando passageira, pois leva à reflexão, se persistir pode se tornar depressão e prejudicar o funcionamento psicológico, social e profissional;
  • Raiva: uma corrosão de dentro para fora, a raiva provoca prejuízos para si e para os que estão próximos. Para se ter uma idéia, o câncer é considerado a doença da raiva;
  • Medo: é ele que permite decidir se as pessoas fogem ou enfrentam as situações. Em excesso, gera ansiedade, aumentando o significado de perigo e encurtando o horizonte de tempo necessário para lidar com a situação. Pessoas dominadas pelo medo têm dificuldade familiar, profissional e social.

Lidar com as emoções

Para enfrentar estes pensamentos, é preciso desenvolver a inteligência emocional, ou a capacidade de compreender e lidar com as emoções. De acordo com Rosana, a inteligência leva à conquista de um emprego, mas é o controle dos sentimentos que permite, por exemplo, uma promoção.

“Indivíduos desprovidos de Q.E. [Coeficiente Emocional] raramente sabem gerir um conflito, impor autoridade, prestar atenção aos outros e ao que se passa a sua volta”.

Ela explicou que a inteligência emocional não é genética, mas um conhecimento adquirido. Para aprender sobre a capacidade de lidar com os sentimentos, é preciso analisar os próprios atos, palavras e pensamentos. Desenvolva o autocontrole e conhecimento, para dar a verdadeira dimensão às emoções.