Bancos se unem à CNJ em semana de conciliação de processos judiciais

Pauta da Febraban será apresentada em novembro. Objetivo é reduzir conflitos pendentes na área trabalhista

SÃO PAULO – Grandes bancos se unirão ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para estabelecer políticas de conciliação. Na prática, a parceria pode agilizar a conciliação de processos judiciais movidos contra as instituições financeiras.

De acordo com a Agência Brasil, o CNJ tem mantido contatos permanentes com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e com os departamentos jurídicos dos bancos Itaú, Bradesco, Santander, HSBC, entre outros, que demonstraram interesse em integrar a campanha da Semana Nacional de Conciliação, a ser realizada de 29 de novembro a 3 de dezembro.

Os bancos vão relacionar as propostas que os afetam diretamente e sugerir alternativas que contribuam para a redução de conflitos pendentes de decisão na área trabalhista. A pauta será apresentada em novembro.

PUBLICIDADE

Campanha
A Semana Nacional de Conciliação é um esforço concentrado do Judiciário na busca de solução negociada para litígios diversos. Promovida pelo CNJ, a campanha conta com a participação de tribunais das esferas estadual, federal e do Trabalho, em parceria com entidades representativas de classe, empresas e órgãos públicos.

No ano passado, durante o esforço concentrado foram realizadas 330 mil audiências, envolvendo 630 mil pessoas, das quais 148 mil audiências resultaram em algum tipo de acordo, com homologações em torno de R$ 1,3 bilhão.